Leituras da semana

Receitas minimalistas #1

23 julho 2014


Apesar de gostar de passar algum tempo na cozinha, também gosto de rentabilizar o tempo e de fazer o máximo em menos tempo possível. Como agora tento fazer tudo em casa em vez de comprar já feito, é necessário uma ginástica maior. Assim prefiro sempre receitas simples e fáceis.


Assim este mês vou mostrar a granola que tenho feito em casa, que adoro, e que é super fácil de adaptar com os ingredientes que mais gostamos; umas barras de trigo sarraceno super rápidas e deliciosas e finalmente quero mostrar-te a água que tenho levado para o trabalho para beber durante o dia.


Adaptei esta receita de granola, adicionando tâmaras partidas aos pedacinhos, substituindo o mel por geleia de agave e as nozes e avelãs por outros frutos secos, como amendoins e castanhas do brasil. A ideia é mesmo adaptar consoante o que temos em casa. Como óleo usei um bocadinho de óleo de côco. Ficou deliciosa!



E ainda veganizei (como eu gosto de dizer) esta receita de barras de cereais substituindo o mel por geleia de agave e o chocolate por cacau. Também não tinha aveia sem glúten e portanto usei a aveia tradicional. Adorei a receita, não ficou muito doce, por isso ficou mesmo como eu gosto! E é óptima para se petiscar durante a tarde.


E finalmente a minha água com sabores! Ultimamente tenho adicionado várias frutas, vegetais e ervas à água. Adiciono num frasco de vidro de 1 litro e deixo-o assim no frigorífico durante a noite. Na manhã seguinte é só virar o conteúdo do frasco (só a água) para a garrafa Sigg que levo para o trabalho e voilá! Água fresca e saborosa todo o dia! Adiciono desde salsa, pepino, limão, pau de canela, gengibre, cerejas, mirtilos, aipo... Basicamente misturo o que me parece combinar bem e vou variando as misturas.





Leituras da semana

Leituras da semana

Viver o momento presente

09 julho 2014


Esta semana as minhas cortinas da sala foram lavadas e por isso há mais luz a entrar lá em casa.

Ontem, no final de jantar, sentei-me no chão da sala encostada ao sofá.

Enquanto bebia o meu chá olhava lá para fora.

A noite estava linda, pacífica, ouvia-se o vento, o mar e via-se a lua.

Senti-me calma, tranquila e a viver o momento.

Quando terminei o chá pratiquei um pouco de yoga e meditei.

Estes momentos inesperados sabem tão bem!

E escrever sobre isto permitiu-me reviver o momento e relaxar :)




Simplificar o orçamento mensal

07 julho 2014


Costumas fazer um orçamento mensal? Anotar aquilo que recebes e que gastas?

Só o comecei a fazer há pouco mais de 1 ano e realmente faz toda a diferença. É tão bom sabermos onde gastamos o dinheiro! Só assim poderemos fazer alguns ajustes, poupar mais aqui, gastar mais ali. 

O template que uso é parecido com este (e tenho-o no google drive, assim está disponível em todo o lado).

Quando comecei a usar este modelo, criei as categorias que considerava necessárias e depois fui acrescentando à medida que ia precisando. Normalmente após usar um modelo durante 2 ou 3 meses, já podemos ter a certeza que está a funcionar correctamente. Não nos podemos é esquecer de ir anotando as despesas.

Anoto as despesas logo que posso. Quando tenho talões guardo para depois anotar, se não tiver talão escrevo uma nota no telemóvel. Há sempre um momento do dia em que ponho tudo em ordem e registo tudo, para não haver esquecimentos.

Já tivemos outras contas e também já tive um cartão visa que cancelei. Agora temos apenas uma conta bancária, onde entra e sai todo o dinheiro. Assim não temos que estar com preocupações com transferências e com cálculos acerca de quem tem que pagar o quê. Também não interessa quem ganha mais ou menos, tudo é partilhado. As compras maiores são sempre decididas em conjunto e temos sorte porque ambos somos poupados. Mesmo assim, é importante conversar muito e falar sobre os objectivos de cada um, afinal um casal/família é como uma equipa e se os objectivos/expectativas de cada um não estão alinhados pode haver muita discussão e muitos dissabores totalmente desnecessários. Obviamente que também é preciso ceder em algumas coisas, se hoje compro eu uma coisa mais cara, no próximo mês compras tu.

As contas da casa (luz, água, gás...) são todas debitadas automaticamente. Controlo sempre as facturas e confirmo se os valores estão todos certos antes de serem debitados. Isto poupa-me imenso tempo! Lembro-me quando tinha que pagar todas as facturas e demorava uma eternidade, já para não falar que tinha que estar preocupada com os prazos. Além disso, também recebo tudo no e-mail e por isso há menos papel cá em casa, menos confusão e menos coisas para arrumar.

Volta e meio e sobretudo no final do ano gosto de analisar em quê que se gastou mais dinheiro e naquilo em que podemos poupar. Acho que um orçamento só faz sentido se fizermos este exercício, pois se não analisamos para quê anotar tudo?

Além do orçamento mensal, tenho um ficheiro onde planeio compras maiores que quero fazer. Por exemplo, as férias, uma máquina fotográfica, um determinado curso. Assim sei sempre quando posso comprar determinada coisa sem prejudicar as poupanças. Anoto a compra, o valor e em que altura pretendo comprar. Pôr o dinheiro noutra conta ou num depósito é bom porque até nos esquecemos que temos o dinheiro e assim quando queremos comprar algo nem sentimos!

Relativamente às poupanças prefiro ter o dinheiro sempre em depósitos. O marido gosta mais dessas coisas e por isso vai pesquisando os depósitos mais atractivos. Assim, quando um estiver próximo do fim já sabemos qual usar a seguir.

Ainda no que diz respeito às poupanças, quando começamos a viver juntos a nossa preocupação era conseguir ter um fundo de emergência, que basicamente é o valor das despesas mensais X 6 meses. Assim sabemos que se um de nós perder o emprego ou se acontecer alguma situação inesperada não temos que nos preocupar com o imediato. Também é importante calcular o valor anual das despesas, afinal há despesas que só temos anualmente, como certos seguros. Nós gostamos sempre de ter uma ideia de quanto gastamos mensal e anualmente para sabermos a quantas andamos. Não se trata de planear tudo ao milímetro, nada disso, mas é importante sabermos com o que podemos contar caso seja necessário.

E tu fazes um orçamento mensal?

Leituras da semana

Como fazer uma mala de viagem minimalista

02 julho 2014


Em viagens de trabalho levo muitas vezes a mala vermelha e cabe tudo lá dentro. A mala preta uso para vários dias/viagens maiores (já levei roupa para 3 semanas). Falta aqui a mala do computador (é da Tucano e é bastante compacta)

Sempre gostei de andar com o mínimo peso possível mas nem sempre foi fácil. Muitas vezes quando viajamos de carro nem nos preocupamos muito com isso, afinal o carro leva. Quando se anda de transportes públicos já não é bem assim. Ultimamente por questões de trabalho tenho andando de comboio e a pé e passo alguns dias fora. Por essa razão tenho mesmo que me preocupar com o peso.

Então o que levo na carteira/mala/mochila:
  • Portátil + carregador + rato - apenas em viagens de trabalho
  • Cabo usb para carregar telemóvel
  • Casaco / parka - que levo vestido
  • Casaco de malha - dependendo do tempo levo vestido ou na mala (quando tiver mais calor um dos casacos pode ficar em casa)
  • Calças - levo apenas um par e vai vestido (se forem 2 ou 3 dias), se forem mais levo mais um par
  • Sapatos - apenas um par e vão calçados (se forem 2 ou 3 dias), se forem mais levo mais um par
  • Chinelos - Só levo se passar mais do que uma noite, se for apenas uma uso os sapatos 
  • Blusas/t-shirts - uma por dia
  • Roupa interior e meias - apenas o estritamente necessário para cada dia (coloco dentro de um saco de tecido)
  • Dobro a roupa sempre em rolinhos pois assim não fica amarrotada e mal chego ao hotel estendo na cama (muito bem esticadas como se estivesse a passar a ferro) ou penduro nos cabides
  • Itens do wc - líquido lentes (levo apenas a quantidade necessária e para mais 1 dia. Não ando carregada com a embalagem que é enorme - faço assim, coloco o líquido directamente nas caixinhas das lentes e fecho bem, se preciso de líquido para 2 dias levo 3 caixas), óculos, creme para rosto e corpo (um que dê para ambos), pasta dentes (coloco a quantidade necessária numa caixa de lentes que tenho à parte) e escova de viagem (daquelas mini), desodorizante, pente (com cabelo curto um pente é suficiente)... Quanto ao gel de banho e champô depende, às vezes levo umas mini embalagens com os meus produtos, outras vezes uso do hotel (apesar de não gostar muito). Mas quando tenho que levar mesmo o mínimo acabo por usar do hotel.
  • Depois levo uma carteira/mala apenas com o essencial - a minha carteira minimalista, telemóvel, garrafa de água (a minha da sigg é de 1 litro e para não ocupar muito espaço acabo por comprar uma de plástico mais pequena para estes dias e depois vou enchendo). Frutos secos, 1 ou 2 peças de fruta. Quando a viagem de regresso é à hora de jantar trago sempre algo para petiscar durante a viagem. Num nécessaire mini também tenho lenços de papel, uma toalhita e baton de cieiro.

Numa ida a Lisboa com o marido, para 2 dias e 1 noite, levei apenas a mochila que uso aos fins-de-semana (fomos de comboio e andamos muito a pé):


Nos sacos brancos a roupa de cada um para o dia seguinte e no saco verde os produtos de higiene. O resto dos itens: óculos graduados dos 2, chaves de casa, necessaire que uso todos os dias (a carteira dos documentos está lá dentro), carregador e phones:



Quando chego ao hotel, costumo estender a roupa para o dia seguinte em cima da cama e assim a roupa deixa de estar amarrotada (claro que ao colocar na mochila/mala tento dobrar da melhor forma, o que já ajuda bastante):


Às vezes ainda fico a pensar "E se acontece alguma coisa? Se sujo ou rasgo alguma peça de roupa?" Se precisar compro outra peça! Prefiro do que andar carregada desnecessariamente porque sei que é pouco provável que isso aconteça.

E é isto que levo na minha mala minimalista! 

E tu tens alguma dica para carregar menos peso?