Simplificar e ter uma vida saudável - parte II

20 março 2014


Exercício físico


Comigo, também aqui, funciona o mais simples. Já frequentei vários ginásios, mas pouco tempo depois cansava-me, havia ali qualquer coisa (ou mais do que uma) com a qual não me identificava e por causa disso acabava por desistir. Definitivamente não sou pessoa de ginásios (mas se tu fores, boa, força nisso!).

Quando comecei a viver junto da praia, a forma como via o exercício físico foi mudando. Muitas vezes fazia caminhadas simplesmente para ouvir o mar e sentir o sol. O bom disso tudo é que ao fazê-lo estava também a exercitar o corpo (caminhava a um bom ritmo) e a mente (ia meditando e reflectindo, ainda sem saber bem o que isso era e o bem que me fazia).

Depois quis caminhar mais rápido ainda e vieram as corridas. 

Percebi que o mais difícil é mesmo vestir e calçar-me (é nesta fase que dá a preguiça). Assim que saio de casa só quero correr sem parar. Por isso quando não tenho vontade de fazer exercício já sei que devo concentrar-me na parte do “veste-te, calça-te e anda (ou sai de casa)”. Depois disso é canja! Deixar a roupa preparada também ajuda e simplifica o processo. 

Descobrir o yoga não foi tão linear como a corrida. Sempre corri para todo o lado e sempre fui apressada e stressada, por isso a corrida coaduna-se bem com tudo isto. O yoga é precisamente o contrário, exige-nos uma concentração enorme (a corrida também exige, mas mais nas mais longas), o estarmos ali naquele lugar e lidarmos connosco próprios. 

Todas as mudanças que fui fazendo desde que descobri o minimalismo permitiram-me ser capaz de praticar yoga e sentir os seus verdadeiros benefícios. Posso mesmo dizer que sou uma pessoa mais feliz desde que comecei a praticar! Antes de ter aulas já fazia algumas asanas em casa, mas ainda não tinha o sentido de compromisso que tenho agora. Eram mais alongamentos do que propriamente yoga. Desde que comecei a ter aulas, a atitude mudou e agora levo o yoga mesmo a sério. Adoro saber mais sobre o assunto, dizer os nomes das asanas em sânscrito e acordar sabendo que a primeira coisa que vou fazer (depois de tomar água quente com limão) é a saudação ao sol!

Claro que o yoga, assim como a corrida podem não ser os exercícios ideais para ti. Não faz mal, vai experimentando várias coisas até descobrires o que gostas mais. Quando descobres o que gostas, o exercício deixa de ser uma obrigação e passa a ser um prazer.

O importante é nos mexermos um bocadinho todos os dias.

E por falar em mexer, o exercício físico não é só aquela parte do dia em que vamos dar uma caminhada ou em que vamos ao ginásio. O exercício físico deve fazer parte da nossa vida e do nosso dia-a-dia, sempre! Por isso anda mais vezes a pé, estaciona o carro mais longe (qual é a necessidade de estacionarmos o carro quase dentro de casa ou do local onde vamos?), sobe e desce escadas e usa menos o elevador (só uso mesmo se estiver carregada de sacos). Tudo isto contribui aos pouquinhos para sermos mais saudáveis e termos mais energia. E andar a pé é sempre mais agradável, reparamos nas pessoas, nos animais, no ambiente que nos rodeia. Muito melhor do que andar de carro! Ah e se puderes andar de bicicleta, melhor ainda (eu não tenho, mas se tiveres usa-a mais vezes!).


Limpeza verde


Demorei um bocadinho até começar a usar apenas produtos naturais na limpeza da casa. Sempre gostei muito de limpar e gostava de experimentar vários produtos e usar os melhores. Usava um produto diferente para cada coisa. Afinal é o que dizem na televisão, um produto para as gorduras, outro para os balcões, outro para o fogão, outro para os WCs… Assim sabemos que iremos ter resultados perfeitos! Mentira, não é nada! Os produtos são quase todos à base dos mesmos componentes e pior, fazem quase todos mal, a nós e ao meio ambiente.

Antes de pesquisar informação sobre o assunto, achei que ia ser complicado deixar de usar os produtos que usava e passar a usar produtos naturais (ou feitos por mim ou comprados), mas não é, é muito simples até. Decidi que o ia fazer aos poucos (como tudo, até porque não queria deitar coisas fora). À medida que ia acabando um produto ia substituindo pela versão natural. Mas antes de comprar pesquisei bastante informação sobre o assunto: quais os produtos que poderia comprar e onde. Assim quando tivesse que comprar não caía na tentação de voltar a comprar o mesmo produto que usava até então. Melhor de tudo, passei a usar muito menos produtos (acho que reduzi a quantidade para metade).




No meu pinterest guardei também algumas dicas.

Podes encontrar estes produtos nos hipermercados (alguns até de marca branca) e nas lojas especializadas, como a celeiro-dieta.


E quanto aos produtos de higiene pessoal?

Aqui ainda é mais importante optarmos por alternativas saudáveis, uma vez que usamos estes produtos directamente na nossa pele/corpo. Não é só uma questão de evitar usar produtos que são testados em animais, os produtos estão cheios de químicos, muitos contêm derivados do petróleo e substâncias que nos provocam alergias e irritação.
Além disso, também aqui consegui reduzir quase para metade aquilo que usava. A sociedade em que vivemos cria imensas necessidades que não são na realidade necessidades, é mais um creme para isto, outro para aquilo, um produto para as pontas do cabelo, outro para a raíz... Prefiro usar poucos produtos mas de qualidade.

Podes encontrar alguns destes produtos na celeiro-dieta e recomendo ainda outras duas lojas:

Organii (tem lojas no Porto e em Lisboa).

Escolhas biológicas (loja online). 


Cuidar do meio ambiente


Acho que hoje em dia todos tentamos ter algum cuidado com o meio ambiente. Fala-se em todo o lado da importância de apagar as luzes, fechar a torneira, não deixar aparelhos em standby.

Mas hoje em dia já não é só importante reciclar, é também importante reduzir. A quantidade de plástico que cada um de nós usa todos os dias é impressionante (confesso que aqui ainda tenho muito para melhorar). Tudo vem embalado, às vezes em duas ou mais embalagens ou papéis plastificados. Portanto o segredo é reduzir, comprar coisas a granel, preferir as versões sem embalagens e usar sacos reutilizáveis.

Por isso passei a beber água filtrada. Incomodava-me mesmo a quantidade de plástico que gastávamos. Já para não falar no peso e no trabalho que era transportar aqueles garrafões todos até casa. Para além de ajudarmos o ambiente, ainda melhoramos a nossa qualidade de vida!

Reduzir o consumo no geral ajuda-nos em muitas coisas. Poupamos dinheiro, ganhamos tempo (é muito melhor passarmos tempo com a família do que andarmos a passear em shoppings ou supermercados), temos menos coisas para cuidar (lavar, organizar, limpar…). Por isso pensa bem antes de comprar seja o que for. Precisas mesmo? Podes substituir por outra coisa que já tenhas em casa? Podes comprar uma peça de roupa mais cara mas com mais qualidade em vez de 4 mais fracas? É importante fazermos compras bem pensadas, dar primazia à qualidade em vez da quantidade e investir na economia local. 

Com a pressa acabamos muitas vezes por comprar o que está à mão, ou seja, em hipermercados e em shoppings. Eu também faço muito isso e por isso aos pouquinhos estou a tentar comprar em mercados e lojas de comércio tradicional. Tenho andado a aprofundar o assunto e espero em breve publicar um post sobre o tema.


A ideia principal deste post é mesmo mostrar-te que é possível ter uma vida saudável e simples sem grande esforço. Claro que não precisas de seguir todas estas regras à risca nem de uma vez só. O ideal é mesmo implementares uma coisa de cada vez e, claro, implementares apenas aquilo que faz sentido na tua vida. 


Uma coisa muito importante, praticamente todas estas coisas que referi estão interligadas. Quer isto dizer que começando a fazer uma, o mais certo é que continues a seguir a lista. Um hábito saudável leva-te mesmo a outros hábitos saudáveis e o que começou com um simples hábito acaba por traduzir-se num novo estilo de vida. Eu comecei com a alimentação vegetariana e isso acabou por me levar a todos os outros (e até demorei alguns anos até introduzir alguns dos hábitos de que falo aqui na minha vida). Como disse, depende muito da fase da vida em que nos encontramos. Por isso se estás com vontade de ter uma vida mais saudável, força! Vais ver que compensa muito e serás muito mais feliz :)

Simplificar e ter uma vida saudável - parte I

18 março 2014


O minimalismo e um estilo de vida saudável andam de mãos dadas. O minimalismo foca-se na importância do essencial e um estilo de vida saudável deveria ser o mais importante para todos nós. Só assim viveremos plenamente e poderemos realmente tirar o verdadeiro proveito da nossa vida.

Já fui tudo menos saudável, já tive peso a mais, já fumei, já comi muitos fritos, já vivi demasiados anos sem fazer exercício físico, já bebi álcool a mais, já fui completamente viciada em café, já passei anos e anos a dormir muito pouco todas as noites, já passei algumas fases em que pouco ou nada comia, já tive outras fases em que tomava comprimidos para tudo e mais alguma coisa, já roí as unhas e os dedos (até ficar sem pele). Enfim, já fiz muito mal a mim própria, física e psicologicamente e por isso facilmente me identifico com pessoas que querem mudar o seu estilo de vida mas que não conseguem.

Antes demais deixa-me dizer-te: É TOTALMENTE POSSÍVEL! Se eu consegui, qualquer um consegue. Afinal eu não sou especial de corrida, sou uma pessoa de carne e osso, tal como as outras, com muitos defeitos e vá lá algumas qualidades também :)

O primeiro passo e o mais importante é mentalizares-te que queres mudar “É a partir de hoje que vou começar a minha vida”. Repara que eu escrevi “começar a mudar” e não “mudar”, pois ninguém muda a vida num dia, nem o super-homem. É muito bom quando nos sentimos inspirados e temos aquela sensação de que hoje podemos fazer tudo. Mas melhor do que isso é fazer perdurar essa vontade e motivação. E esta é a parte mais difícil, mas que não deixa de ser possível. Invariavelmente uns hábitos acabam por levar a outros e é isso que tens que tentar perceber, qual o hábito mais importante para ti, que é mais fácil e que achas que te poderá levar a outros hábitos, também eles saudáveis.

Eu comecei pela alimentação. Só algum tempo depois passei ao exercício físico. Depois ao deixar de fumar, de beber, etc. Acabei por me focar naquilo que fazia sentido consoante a fase da vida em que me encontrava. Por exemplo, enquanto estava a estudar era muito mais difícil ter bons hábitos. Havia muitas saídas, jantares com amigos, etc. Quando comecei a trabalhar tive que mudar algumas coisas, nomeadamente os meus hábitos de sono, pois sentia-me cansada a dormir tão pouco.

Apesar de ser vegetariana há muitos anos, só me tornei vegan muito tempo depois. E foi nessa altura que a vontade de usar apenas produtos de limpeza ecológicos despertou. Portanto, tudo o que faço hoje em dia foi resultado de um processo de mudança que durou muito tempo e que aliás ainda está em curso, pois o ser humano está em constante mudança e os grandes responsáveis por essas mudanças, somos nós!

Não tens que fazer tudo hoje, mas podes começar hoje! Esta é mesmo a mensagem mais importante!

Vou dar-te algumas dicas sobre alimentação, exercício físico, limpeza da casa e os cuidados que devemos ter com o ambiente.

Vamos a isto?


Alimentação

Os ingredientes mais simples são sempre os melhores.

Começa o dia da maneira mais simples possível: com meio copo de água quente e umas gotas de limão. Vais hidratar o corpo e também limpá-lo. Assim fica prontinho para receber um pequeno-almoço nutritivo. Não preciso de referir a importância do pequeno-almoço, pois não? Faz mesmo um esforço por não saíres de casa sem tomar o pequeno-almoço (nem que tenhas que acordar 5 ou 10 minutos mais cedo).

Para o pequeno-almoço deixo aqui várias sugestões, além do café com leite vegetal + pão de cereais/soja que é o que habitualmente como durante a semana (este é mesmo o clássico, nunca me canso, antes como fruta ou bebo um sumo/smoothie. Para já ainda não consigo passar sem a minha dose de café matinal).

Para quem gosta de coisas diferentes ou simplesmente para os fins-de-semana deixo aqui mais algumas sugestões:

  • Várias receitas: aqui (sociedade vegan) e aqui (Miss Vite).
  • Papas de aveia: aqui (as que costumo fazer habitualmente) e aqui.

A meio da manhã e a meio da tarde gosto de comer:

  • Frutos secos/desidratados.
  • Fruta.
  • Iogurtes.
  • Sumos/smoothies/batidos.
  • Bolachas/barras de cereais (de preferência feitas em casa) senão podes sempre procurar alternativas biológicas e com pouco açúcar.

Às refeições principais não precisas de complicar muito. Há refeições simples e rápidas que contêm todos os nutrientes que precisamos. Se não tens uma alimentação vegetariana/vegana tenta pelo menos fazer uma refeição deste tipo por semana.

Já mostrei aqui uma semana de refeições para ficarem com uma ideia do que come um vegan (pois muitas vezes pensam que os vegans comem sempre as mesmas coisas). Por acaso acho que é mesmo ao contrário, antes de ser vegetariana variava muito menos na alimentação. Foi todo um mundo novo de produtos alimentares que descobri (normalmente as pessoas com uma alimentação tradicional não costumam comer quinoa, bulgur, algas, miso, levedura de cerveja, aveia…e estes são só alguns exemplos).

Comida colorida, saborosa e saudável é o que não pode mesmo faltar...




1. Soja fina salteada no wok com legumes.
2. Curgete e pimentos grelhados com sementes e ervas.
3. Muffins de tofu fumado e cenoura.
4. Seitan às tiras salteado com sementes.
5. Risoto de espargos e cogumelos.


Deixo aqui alguns dos meus blogs favoritos para consultar receitas (eu adoro ler receitas e obviamente que não faço tudo o que leio, gosto de ler para tirar ideias e é por ler tanto que geralmente vou tendo sempre ideias para cozinhar. Estas leituras fizeram toda a diferença quando me decidi tornar vegetariana pois não fazia ideia do que podia cozinhar!):








O mais importante aqui é deixares de comer aquilo que só te faz mal (claro que se for uma vez de vez em quando não faz mal mas eu acredito que é possível continuarmos a comer de tudo, só temos que tornar esses pratos menos saudáveis em coisas saudáveis, por exemplo batatas fritas mas no forno, ficam quase iguais!). Não precisas de deitar a comida menos boa fora. Vai gastando o que tens e não compres mais. Da próxima vez que fores ao supermercado opta por versões mais saudáveis. Começa aos pouquinhos a ler os ingredientes daquilo que compras. Verifica se são coisas naturais, se têm ou não demasiado açúcar e/ou sal. E não é preciso comprar coisas demasiado caras para se ter uma vida saudável. Acredita que é possível arranjar algumas coisas relativamente baratas. Depois de conheceres bem todos estes produtos será muito mais fácil escolher. É verdade que algumas coisas são caras mas também é verdade que, a longo prazo, isso compensa, pois iremos poupar em despesas médicas e outros tratamentos, por exemplo. Além disso uma boa alimentação dá-nos logo energia e boa disposição para encararmos o nosso dia-a-dia de outra forma (mesmo naqueles dias menos bons). 

Devemos sempre optar por alimentos ricos em fibras e pobres em gorduras e açúcares.

Tenta não comprar comida pré-cozinhada ou então compra apenas alternativas saudáveis (agora já há várias alternativas biológicas).

E, acima de tudo, experimenta coisas diferentes. Descobre novos sabores. Em vez de arroz, experimenta usar quinoa, bulgur ou trigo sarraceno. Quando usares farinha tenta substituir a farinha branca por farinhas diferentes, como a de aveia, centeio, integral, espelta. 

Experimenta doces/sobremesas saudáveis (podes ver muitas aqui). Nunca como sobremesa (prefiro os doces ao lanche), mas outro dia estava cheia de vontade de comer algo doce, bastou-me aquecer um bocadinho uma banana no microondas, polvilhei com canela e já está, um doce simples e saudável).

Experimenta coisas sem glúten (eu ando a explorar estes produtos).

Adiciona algumas algas aos teus pratos. Eu costumo cozinhá-las com legumes salteados.

E as sementes? São tão boas e tão fáceis de usar. Podes polvilhar os vegetais, o arroz, as massas, até podes colocar nos iogurtes e na fruta e é tão fácil, nem tens que as cozinhar! Só as sementes de linhaça é que se devem triturar antes de consumir para serem totalmente absorvidas pelo nosso organismo.

Já sei o que estás a pensar “e se eu não gostar”?

As nossas papilas gustativas são domesticáveis, acredita! Os meus gostos já mudaram tanto! Lembro-me de quando deixei de usar açúcar no café. Custou-me tanto! Achava que ia ser impossível, que nunca iria conseguir beber o café sem açúcar. Comecei por reduzir um bocadinho numa semana, mais um bocadinho noutra, até deixar de usar completamente. Depois por me ter habituado a beber tudo sem açúcar tive dificuldade em adaptar-me aos leites vegetais, mesmo às versões sem açúcar (acho que são sempre um pouco adocicados). Tive que voltar a treinar as papilas gustativas e consegui. Com alguns vegetais aconteceu o mesmo, nem sempre gostei de tudo, mas é tudo uma questão de hábito. Quando sabemos que nos faz bem temos o incentivo que precisávamos. Um dos truques é misturar o que gostamos menos com aquilo que gostamos mais. Primeiro em doses muito pequenas e depois ir aumentando. E isto também pode ser feito com as crianças e com toda a família (confesso que faço muito isso cá em casa, não só comigo, mas também com o marido e consigo enganá-lo bem). Após algum tempo, o milagre acontece, já conseguimos gostar do tal alimento em versão solo

E onde comprar alimentos saudáveis? Os hipermercados têm cada vez mais variedade na secção de produtos dietéticos. É uma questão de ires procurando e passando por lá. Quanto às lojas especializadas eu recomendo a celeiro-dieta, que adoro e é onde faço a maior parte das compras.


Vamos aos líquidos?

Não costumo beber às refeições, simplesmente porque já bebo água, chá e sumos/smoothies durante todo o dia e às refeições não tenho essa necessidade. Beber muito à refeição não é aconselhável, pois pode retardar a digestão (uma vez que o líquido irá dissolver o suco gástrico) e pode fazer ainda com que o nosso organismo não consiga absorver certos nutrientes presentes nos alimentos que ingerimos. Quando tenho muita sede ou quando como algo picante, bebo um bocadinho no fim e fico bem.

Ao longo de todo o dia bebo bastante água. Gosto de beber logo quando acordo, bebo água no trabalho (levo sempre uma garrafa de água comigo) e quando chego a casa bebo sempre chá. Muitas vezes à noite volto a tomar chá. Ao início pode custar um bocadinho adquirirmos este hábito, mas é mesmo uma questão de começar. Um dos truques que podes usar é arranjar algo que te lembre que deves beber. Podes deixar a caneca do chá já pronta (depois é só aquecer água), podes deixar o copo de água pronto quando acordas de manhã para beberes a água com limão, podes deixar a garrafa de água já pronta para levares para o trabalho. E se no trabalho te esqueceres de beber água? Tenta beber água sempre que fazes alguma pausa. Se fores mesmo muito esquecida(o) coloca alarmes no telemóvel. Há imensas alternativas, o importante é mesmo não esquecermos de hidratar o nosso corpo!

Tiraste muitas notas? Começa por ver algumas receitas que tens curiosidade em experimentar, anota os ingredientes e da próxima vez que fores ao supermercado já sabes.


Espero que este post te tenha inspirado. No próximo continuamos a caminhada em busca de uma vida saudável e simples.

Leituras da semana

16 março 2014


"Nascemos dotados de um coração maravilhoso, mas cheio de volatilidades. Tanto temos rasgos de inspiração que nos aproximam do que queremos, como ao mesmo tempo temos distracções que nos empatam. Ora o que a disciplina faz é libertar desta volatilidade. Ela faz-nos chegar onde queremos, sem nos perdermos no que não queremos. A disciplina desperta uma espontaneidade orientada e consistente, não ficando apenas por alguns laivos de entusiasmo."

Incompletas e imperfeitas: "Todo mundo sente frustração, raiva, tédio, inveja. Toda vida tem essas sensações ou partes não tão legais — somos TODAS incompletas e imperfeitas, umas horas a gente erra e fica brava mas em tantos outras a gente acerta! (...) E assim, aceitando quem a gente É e a vida que a gente tem (com parte boa e parte ruim, tudo lindo, tudo funcionando!), lida melhor com essas frustrações e raivas. E tudo passa, uma hora querendo ou não passa!"






Alguns blogs novos que descobri no fim-de-semana:

Feliz com a vida.

Uma vida mais simples.

Camomilas.

Desassossegada.

Boas leituras e boa semana! :)


O meu blog é neutro em CO2 e o teu?

15 março 2014


Já tinha lido sobre esta campanha há algum tempo. Guardei o link com o intuito de fazer o post mais tarde mas depois acabou por ficar esquecido. Acho que nos últimos tempos ando demasiado relaxada (quem diria? Mas é tão bom!). A vida é mesmo uma caxinha de surpresas.


Voltando ao que interessa, em que consiste esta campanha?


Como um um blog produz, em média, 3,6 kg de dióxido de carbono por ano (sabias desta?), a ideia é plantar uma árvore por cada blog neutralizando assim os seus efeitos.

Queres participar? Sabe como aqui.

Obrigada :)

gestoverde

Sábado de manhã


Acordo às 6.30. Visto a minha roupa super comfy. Bebo a minha querida água morna com limão. Respiro fundo e aprecio o silêncio. Faço a saudação ao sol (o sol deve estar mesmo mesmo quase a chegar). Termino com meditação e com o gayatri mantra

Arrumo o tapete. 

Preparo um pequeno-almoço nutritivo para a família. À mesa conversamos e aprecio cada dentada. Termino com uma sensação de satisfação.

Arrumo as coisas na cozinha.

Abro todas as janelas da casa e deixo o ar puro entrar.

Faço um esfoliante facial com óleo de côco e açúcar mascavado. Faço uma massagem pelo rosto e tiro todas as tensões da semana.

Termino e sinto-me pronta para começar a trabalhar. Ligo o computador e começo a escrever sobre aquilo que mais gosto no meu querido blog.


Bom fim-de-semana! :)


Por aqui: muito sol e outras coisas boas

10 março 2014





O sol voltou (finalmente!) e decidi brincar um bocadinho com as fotos que tenho tirado durante as minhas corridas e os freebies desta semana do “We blog you”.

Não tenho escrito tanto quanto gostaria, mas tenho-me dedicado a outras coisas que gosto muito: corrida, yoga e cozinha.

Esta semana fiz algumas receitas diferentes, bem boas e relativamente simples. Cada vez gosto mais de estar na cozinha e adoro o desafio de transformar os pratos na sua versão mais saudável possível.

Também tenho lido algumas coisas sobre reiki (estou seriamente a pensar fazer o curso nível I) e yoga e tenho descansado muito. Ontem à tarde estava tão relaxada no sofá que acabei por adormecer (o que já não acontecia há muito tempo). A prática de exercício físico tem destas coisas. Mas sinto-me melhor do que nunca.

Também tenho pensado muito sobre investir em formação naquilo que realmente gosto e por isso o tempo que passo a navegar pela net tem sido dedicado quase exclusivamente a isso. Cada vez acho mais que devemos investir em nós e naquilo que gostamos e quando não podemos trabalhar naquilo que realmente nos apaixona, a formação é um óptimo escape.

Prometo que esta semana darei continuidade aos posts da série “Simplificar em 2014”. Já tenho alguns quase prontos, só que ainda me falta fazer alguma pesquisa para terminar.


Desejo-vos uma excelente semana, de preferência com muito sol e muita energia positiva :)

Março, vais ser um bom mês!

01 março 2014


Um novo mês chegou...

Fevereiro não poderia ter acabado melhor. Um jantar muito especial cá em casa com os meus amigos preferidos. Com amigos assim há sempre assunto, sempre alegria, sempre sorrisos. Há ligações mesmo especiais que não se explicam. Não falamos todos os dias, nem nada que se pareça, não temos obrigações, estamos juntos quando é possível e quando o fazemos é como se estivéssemos sempre juntos, como se fossemos amigos desde que nascemos. 


Confesso que até me esqueci de fotografar! Queria ter tirado muitas fotos para mais tarde recordar, mas esqueci-me completamente! Acho que quando nos sentimos assim, a viver intensamente, as fotografias passam para segundo plano, ficam as memórias e isso é o mais importante :)



Estes momentos fazem-me ainda mais pensar na minha vida, se estou a seguir o caminho certo, ou se haverá mais alguma coisa por aí que me permita sentir-me mais ligada a mim mesma, à natureza, à minha essência.

Por isso este mês vai ser mesmo dedicado àquilo que gosto: vida saudável, yoga, fotografia e escrita. Vou mesmo mesmo fazer um esforço para incluir um bocadinho de cada uma delas no meu dia-a-dia. O trabalho pode deixar-me muito cansada, física e mentalmente, mas no fim dos nossos dias aposto que não vai ser o trabalho que nos vai valer de nada e sim termos feito aquilo que gostamos.


Que Março seja um mês mais alegre, mais quente, mais saudável e dedicado às nossas coisas preferidas!