Leituras da semana

31 dezembro 2014


Segue a última lista do ano.

Não tenho lido muito ultimamente. Aproveitei os últimos dias para descansar e fiz uma pausa de net. Sabe tão bem de vez em quando!

Para finalizar bem o ano deixo-te as minhas últimas leituras:






Venha um novo ano, com novos desafios e muito minimalismo! Desejo-te um bom ano :)

Obrigada!


Um natal minimalista em 2014

19 dezembro 2014




O Natal é aquilo que nós quisermos que ele seja e não aquilo que nos impõem. Para mim o natal significa tempo em família, música de natal e doces (versão saudável e vegan se faz favor!).

Os presentes não fazem parte do nosso natal há muito tempo e a ideia inicial nem partiu de mim (na altura ainda não se ouvia falar de minimalismo). Achávamos que era um desperdício gastar dinheiro em presentes para todos os familiares e começamos a reduzir. Optamos por oferecer apenas às crianças, afinal elas é que poderiam sentir mais falta... Na altura de facto sentiam (outros tempos!), depois começaram a ter tantos presentes só dos pais, que deixou de fazer sentido dar também presentes às crianças. Passamos depois a oferecer presentes apenas à família nuclear de cada um, ou seja, pais e irmãos. Até que há 2 anos, eu combinei com os meus pais, irmã e companheiro e deixamos simplesmente de oferecer presentes, seja de que tipo for! Preferimos a companhia uns dos outros e isso chega-nos! Para quê oferecer presentes numa altura em que toda a gente oferece, em que há confusões em todo o lado, quando podemos fazê-lo em qualquer altura do ano? Noutra altura é totalmente inesperado e tem muito mais piada. Ofereço quando me apetece! E é tão bom não ter que perder tempo com prendas, com idas a lojas e já agora com a idas a jantares que não têm interesse nenhum! 

Este ano perdi a cabeça e comprei uma árvore de natal (sim aquela lá em cima na foto)! Ponderei muito bem esta decisão, pois não queria ter algo arrumado a ocupar espaço e que só iria usar durante pouco mais de um mês num ano. Depois o amigo patudo podia não achar piada nenhuma e estragar, o que era pior ainda. Queríamos comprar algo diferente e muito simples, mas acabamos por não encontrar, tendo optado pela árvore tradicional. Quis apenas fugir das habituais bolas de natal e optei por acessórios diferentes e que não partem. Vimos que a árvore desmontada não ocupava tanto espaço assim e resolvemos arriscar. As luzes são super seguras, também não partem e são a pilhas. Perfeito! Para tapar a base comprei este tapete de imitação de pêlo do Ikea (que sempre adorei!). Mas o 4 patas ainda gostou mais do que eu, pois está sempre lá deitado! É de rir!

Comprei a árvore sobretudo porque o natal este ano vai ser passado em nossa casa, pela primeira vez! Estou super animada! Vou apenas preparar o jantar vegan, que será assado de seitan com batatas e castanhas, pois assim agrada a toda a gente. Teremos que ter também um prato tradicional, mas não será cozinhado por mim felizmente (acho que não saberia fazê-lo nem que quisesse!). Os doces vou encomendar! Tinha pensado em fazer 1001 coisas, mas já sei o que acontece, fico o tempo todo na cozinha e depois fico exausta! Descobri um sítio fantástico que faz sobremesas veganas e biológicas. Vou experimentar! Depois conto como foi!

Acima de tudo nesta época, faz aquilo com que te identificas e aquilo que é importante para ti!

Feliz Natal! :)

Como limpar tapetes de forma ecológica

02 dezembro 2014


Já não tenho muitos tapetes em casa. Tenho 3, um no corredor na entrada, outro no quarto (este quando ficar velho, livro-me mesmo dele) e outro na sala.

O da entrada é onde tiramos os sapatos e digamos que funciona como barreira para todo o lixo que trazemos da rua. Dali os sapatos não passam e pronto.

O da sala é mesmo por uma questão de conforto. Fica em frente ao sofá e com o frio sabe mesmo bem pois torna o ambiente mais quente. 

No entanto, pensei várias vezes em tirá-lo de lá... Com um cão a correr pela sala, o risco de acontecerem acidentes é grande! Ele adora correr em cima do tapete, deitar-se, esticar-se e brincar connosco. Claro que o tapete está um pouco mais sujo do que antes, para além de agarrar grande parte do pêlo que agora voa cá por casa.

Decidi que não ia tirar o tapete. Por isso passei a limpá-lo mais frequentemente, ou seja, quase todas as semanas ou de 2 em 2 semanas.

Então faço assim:

  • Espalho bicarbonato de sódio por todo o tapete;
  • Escovo todas as zonas (uso uma das escovas do aspirador);
  • Deixo assim durante algumas horas ou até durante a noite (assim garanto que não anda ninguém na sala);
  • Depois é só aspirar normalmente. 


O tapete fica como novo! Além do bicarbonato de sódio eliminar todos os cheiros, deixa mesmo o tapete mais limpo. 

Limpar com o bicarbonato de sódio é uma alternativa ecológica, simples, rápida e amiga dos animais. 

Para além de não fazer mal aos nossos animais, ainda mata as pulgas!

E tu como limpas os tapetes?

Os 30 e um dia simples, mesmo como eu gosto!

25 novembro 2014


O nosso dia deve mesmo ser passado a fazer aquilo que mais gostamos e eu adoro organizar, não há hipótese! Portanto nada melhor do que receber os 30 com o guarda-roupa organizado e prontinho para o frio que já se sente!

Já há algum tempo que queria trocar as roupas de verão pelas de inverno no meu armário, mas o tempo estranho que se foi sentindo este ano foi adiando esta tarefa.

Geralmente não trabalho no meu dia de aniversário. É o presente que ofereço a mim própria. Como o companheiro tinha mesmo que trabalhar, saberia que ia ter muito tempo livre. Então resolvi começar a planear o dia. Uns dias antes já tinha mesmo precisado de ir buscar algumas peças de roupa mais quentes. Já tinha, por isso, retirado a caixa onde guardo a roupa quente e trocado pela de verão. Arrumei os vestidos todos, tops, saias e calções. Mas como na altura estava com pressa, não me preocupei muito em arrumar, fiz mesmo o estritamente necessário: retirei toda a roupa de inverno da caixa e coloquei lá a de verão. Aproveitei no entanto para separar logo aquela que não usei este verão e também a que usei pouco no inverno passado ou que simplesmente não quero usar este ano porque já não me identifico. Coloquei estas roupas numa prateleira própria para o efeito, onde tenho tudo o que está em “stand-by”. Daqui a uns tempos irei analisar peça a peça (assim garanto que não me arrependo de nada).

Na sexta de manhã depois de um delicioso pequeno-almoço cheio de surpresas preparadas pelo meu rico companheiro, lá fui eu pôr mãos à obra.

Comecei por tirar tudo do armário e limpar (com detergente caseiro). Coloquei tudo em cima da cama e separei os cabides que não seriam necessários (tenho muitos mais vestidos de verão do que de inverno por isso sobram-me imensos nesta altura!). 

Resolvi separar os vestidos por tipo e cor: saídas/festas; trabalho; fins-de-semana.

Fui buscar uma das caixas ao escritório e usei-a para guardar golas e cachecóis. 

Guardei ainda na caixa de tecido (onde arrumo a roupa da estação passada) um colar e um cinto que só uso mesmo no verão e os pijamas de verão.

À medida que ia arrumando fui anotando o que precisava de substituir, peças que gostaria de ter e coisas que precisam de arranjos (como 2 pares de botas que precisam de fazer uma visita ao sapateiro). Muitas vezes acabo por não comprar metade do que está na lista, mas a lista serve para isso mesmo: devemos registar tudo o que achamos que precisamos na altura para, mais tarde, fazermos uma selecção e comprarmos apenas aquilo que é mesmo mesmo necessário!

Depois de organizar tudo, olhei para o armário, tirei fotos do resultado final e sorri!







A minha recompensa foi dar uma caminhada junto à praia e tirar algumas fotos. 





Quando voltei preparei um chá quente e um banho de imersão com sal dos Himalaias (conheces os benefícios?).



Meditei e relaxei totalmente no banho. Acho que até adormeci! Que bem que me soube!

Depois vesti uma roupa super confortável e fui ter com o meu pequeno. Brinquei um pouco com ele e comecei a preparar o almoço.

Fiz couscous com vegetais salteados. Adoro este prato, sobretudo se for bem quentinho e picante q.b. 


Quando estou sozinha adoro comer a ver tv. Assim a saborear um prato quentinho e a ver algo que realmente goste! Aproveitei para ver alguns episódios que tinha gravados.

No fim de almoço lá brinquei mais com o pequeno e depois fomos ao vet. Já tínhamos a consulta marcada. 

Depois de regressar a casa fiz o meu bolo de anos. Escolhi o bolo de maçã caramelizado do livro da Gabriela Oliveira “Cozinha vegetariana para quem quer poupar”. É delicioso!! E super simples de se fazer. Experimenta! (a receita está aqui)



A casa ficou com um cheiro óptimo! Não sei como consegui resistir. Depois o companheiro chegou e tive aula de yoga. Quando voltei fizemos risoto de cogumelos, abrimos um vinho e deliciamo-nos com o nosso bolo.


Só sei que terminei o dia da melhor forma, os 3 a dormir no sofá ehehe

Viva aos 30 e à vida simples! :)

Quase 30 e uma reflexão...

20 novembro 2014


Entre idas a Lisboa, um trabalho que me deixa de rastos e limpar cocós e xixis, sobra muito pouco tempo para o resto.

Por mais que tente simplificar e automatizar as coisas, sei que elas não podem diminuir mais, há coisas que simplesmente têm que ser feitas! Já baixei muito as expectativas sim, mas mais acho que não posso mesmo fazer!

E custa-me isto de admitir que não posso fazer mais porque eu quero sempre fazer tudo!

Por isso digo e repito: não me imagino com filhos, nunca seria possível. Já nos sentimos exaustos com o que temos, quanto mais com um ser totalmente dependente de nós e que exige tanto! Nem pensar!


Gostava que estas coisas fossem mais fáceis. Sei que já equilibramos mais ou menos as coisas, pois há uns tempos atrás dizia mesmo que era impossível termos um cão e agora que temos o nosso querido amigo vamos dando conta do recado, talvez não como gostaríamos, mas damos.


Só que gostava de ter tempo sobretudo para me dedicar a mim, para fazer uma reflexão à séria, pensar onde a minha vida me está a levar e se é isto que quero. Se quero continuar nesta carreira ou se quero sair, se quero experimentar novas coisas.

Se quero sair acho que deveria fazê-lo já! Mas para onde?

Talvez deva aceitar que a vida é isto e pronto. Não espero mais nem me chateio mais. Só que o problema é que eu não me conformo! Não quero acreditar que a vida seja este corre corre de uma tarefa para a outra, que nem nos deixa respirar, que seja um jogo de autêntico equilíbrio e malabarismo.

Quero uma vida mais simples... Não quer isto dizer que não deva ter os seus desafios (claro que tem que ter, senão era uma seca), mas caramba, não tem que ter desafios quase todos os dias ou todas as semanas!

Já sei que tem que haver chatices, constrangimentos e problemas senão a vida era demasiado chata. Mas estou prestes a fazer 30 (esse grande marco!) e será que é assim que quero continuar até chegar aos 40?

Eu diria que não sinceramente. Mas também me sinto sem saber bem o que fazer... Parece que tenho que tomar grandes decisões já, mas também não sei o que decidir, simplesmente porque não tenho tempo para pensar!

Eu sei que deveria estar feliz com os meus 30 anos porque há toda uma série de coisas positivas à minha volta e que eu nunca pensei que tivesse, aos 30!

Mas porquê que nos centramos tanto na parte negativa, naquilo que não está bem?

Porquê que não nos contentamos mais com o que temos?

Aposto que isto tudo tem a ver com os 30! O peso da idade está a começar finalmente a pesar!

Isso e a ideia de que quero que as coisas mudem e como 30 é aquele marco, as coisas têm que mudar agora e pronto!

Às vezes esta minha cabecinha pensa mesmo demais!

E se pensasse nas coisas certas? Em tudo o que conquistei até aos 30? Talvez fosse melhor usar a minha rica cabecinha para estas coisas....


Há uns anos atrás nunca me imaginaria assim, aos 30! Confesso que não!

Não pensava sinceramente que iria morar onde moro, praticar yoga e ter a pessoa que tenho ao meu lado. Muito menos pensava em ter um cãozinho!! É verdade que aconteceram coisas muito boas. Não sabia que ia ter um blog. Não sabia que estaria no trabalho onde estou actualmente (que apesar de coisas menos boas tem coisas muito positivas). Nunca imaginaria que iria conhecer Sagres (eu que há tanto tempo queria lá ir...). Enfim, tantas outras coisas...

Simplesmente adoro o sítio onde vivo, adoro a minha casa e adoro com quem a partilho. Finalmente sinto a família completa. Não poderia estar mais feliz! Os rapazes cá de casa dão-se super bem! E eu adoro vê-lo juntos :)


Os 30 podem ser ainda muito mais e isso só depende de mim! :) Bora lá mudar a cabecinha para os pensamentos positivos!


Leituras da semana

Colocar a roupa a secar aproveitando melhor o espaço

12 novembro 2014


Com o "pequeno" na cozinha e na lavanderia, a roupa tem que obrigatoriamente que ficar a secar na varanda. A varanda é coberta e até bem abrigada da chuva. O problema são aqueles dias de chuva intensa, em que até os vidros das portas da varanda ficam mesmo molhados.

Neste caso a roupa tem mesmo que ficar dentro de casa. O ideal é nos WCs pois a roupa seca melhor devido ao sistema de ventilação. Mas os WCs são pequenos. Por isso onde colocar a roupa?

Estava mesmo a precisar de substituir os meus 2 estendais. Já aqui tinha referido que tapei a ferrugem com uma fita da mesma cor, só para se aguentarem mais uns tempos. Mas já estavam mesmo a dar as últimas, com partes partidas, etc.

A solução foi comprar 2 novos: este e este. Quis comprar 2 diferentes, uma vez que nem toda a roupa é do mesmo tamanho (para lençóis e toalhas preciso mesmo de algo maior).

Encontrei ainda a solução ideal para colocar no wc. Posso regulá-lo como quiser (abro só um dos lados e parte do meio pode prender mais acima de forma a ficar mais estreito) e ocupa muito pouco espaço. Ainda por cima foi super barato e cabe imensa roupa! Quando comecei a estender a roupa pela primeira vez nem eu imaginava que coubesse tanta (consigo colocar roupa interior e meias nas varas mais baixas). Tem ainda outra vantagem, como tem imensos sítios para colocarmos a roupa, não ficamos sempre na mesma posição quando estamos a estender a roupa, por isso somos mesmo obrigados a fazer ginástica! :)

Estou super satisfeita. Viva às soluções simples e que ocupam pouco espaço :)




Leituras da semana

31 outubro 2014


Olá! Espero que ainda estejas desse lado :)


Tenho definitivamente que me organizar melhor. Faz-me tanta falta dedicar-me ao blog! A vida minimalista é mesmo um longo caminho a percorrer! Não adianta pensar que depois de ter simplificado tudo e mais alguma coisa, já está, não tenho que fazer mais nada! Tenho um longo caminho pela frente, até porque a vida vai mudando todos os dias.

Já chega de conversa, cá ficam as leituras da semana:






Granola sem forno (óptima para estes dias de calor e muito mais rápida do que a versão de forno).










Dicas de produtividade (Tim Ferris).


Bom fim-de-semana!


Leituras da semana

17 outubro 2014


As leituras têm-se centrado sobretudo em comportamento canino, como não poderia deixar de ser! Tenho muito que aprender :)



No entanto, deixo-te dois links interessantes:


Conheci este blog através da Patrícia - THE EXTRA IN THE ORDINARY - Adoro! Já faz parte das leituras diárias





Bom fim-de-semana!


Animais em casa: como facilitar as rotinas

16 outubro 2014


Como em todas as rotinas, o melhor mesmo é ter tudo bem organizado e deixar algumas coisas já prepradas para o dia seguinte. Com os animais é igual. Se nos organizarmos bem, não temos que fazer nada à pressa e, por isso, não nos stressamos a nós nem a eles!

O produto de limpeza caseiro está sempre à mão, assim como as toalhitas e os jornais (uso publicidade não endereçada) para limpar o que for preciso.

Também tenho o detergente das mãos sempre pronto para lavar as nossas mãos. Já pensei em comprar aquele gel com álcool, para não estar sempre a usar água. Usas? Recomendas?

O armário com as coisas do amiguinho peludo (entretanto acrescentei mais algumas coisas a este post) também está mesmo junto à lavanderia e organizei-o da seguinte forma:

Prateleira de cima: ração e medidor (uso uma chávena de café antiga); guloseimas; toalhitas; tapetes de educação; jornais.

Outra prateleira: Toalhas, t-shirts velhas (que às vezes vestimos para deixar com ele, assim fica com o nosso cheiro na nossa ausência), manta, 2 organizadores mini (tinha isto para dar já há algum tempo e agora foi-me útil, por isso é que gosto de guardar as coisas durante algum tempo antes de dar): um com os produtos de higiene - soro fisiológico, pente… e outro: com todos os brinquedos.

Este armário é praticamente só para ele, apenas tem a mangueira da aspiração central na última prateleira.

Também tenho um frasco sem tampa com bicarbonato de sódio para retirar eventuais cheiros. O bicarbonato de sódio (tal como falei aqui) é óptimo para retirar todos os odores.

Deixo só aqui uma dica muito importante e que já sigo há algum tempo: baixar as expectativas!
Com animais é perfeitamente compreensível que as coisas fiquem mais sujas do que antes e também é complicado manter tudo limpo durante muito tempo. Portanto é só mudar a perspectiva e reduzir as expectativas. Pode parecer difícil no início mas se eu consigo, qualquer um consegue :)

E tu tens alguma dica?

Novas rotinas… agora com um animal

14 outubro 2014


As rotinas não mudaram assim tanto, já que tinha o hábito de me deitar e de acordar cedo (aqui e aqui).

Agora simplesmente passei a acordar um pouco mais cedo, de forma a ter tempo de limpar a lavanderia, de brincar com ele e de lhe dar a comida, antes de me arranjar e sair.

Então acordo entre as 5.30 e as 5.45 (é incrível como agora acordo sem despertador, tal é a alegria de acordar!). Levanto-me, vou ao wc e depois faço a saudação ao sol na sala e/ou medito um pouco, abro o estore e a porta da varanda da sala para arejar. Depois dirijo-me à cozinha (a fera está na lavanderia, no fim da cozinha, separada por uma espécie de portão que improvisamos) e bebo a minha água morna com limão. A ideia é mesmo fazer as coisas com calma e mostrar que o acordar é feito lentamente. Não tenho que ir a correr comprimentá-lo (embora a minha vontade fosse essa!). Preparo o balde das limpezas. Dou-lhe alguns mimos, digo para se acalmar e ponho-na cozinha a brincar. Limpo o sítio dele, abro o estore da porta da varanda, deixo tudo preparado e brinco com ele enquanto espero que tudo seque. Depois dou-lhe a comida e volto a pô-lo na lavanderia. Deito fora a água do balde e ponho a esfregona lá fora a secar.

Abro as portas e deixo tudo a arejar.

Depois começa a rotina de sempre. Tomamos o nosso pequeno-almoço, tratamos de nós e saímos. Algum tempo antes de sair, já começo a preparar a saída, deixo a tv da cozinha ligada (eu pensei seriamente em livrar-me desta tv, agora agradeço por não o ter feito), desligo a luz da cozinha e fecho a porta da cozinha, pois andamos no hall a preparar a saída. Saímos calmamente sem grande barulho e ele lá fica caladinho no seu sítio.


Quando regressamos é tempo de repetir a rotina da manhã. Geralmente limpo tudo outra vez, pois apesar de ele já fazer as necessidades no sítio certo, há sempre um dia ou outro em que há descuidos e é normal haver sempre sujidade.

Voltamos a brincar com ele e no fim da brincadeira volta para a sua casa e come.

Só nessa altura é que fazemos a nossa rotina habitual. Arrumo as tralhas do trabalho, arrumo o que estiver desarrumado, etc. Por mais vontade que tenha de estar sempre com ele a brincar sei que isso não é bom e não quero que fique demasiado ansioso quando não estamos em casa. Por isso acho tão importante nesta fase inicial ele saber que estamos em casa, mas que não tem que andar sempre atrás de nós. Enquanto estou na cozinha a adiantar o jantar/arrumar, vou interagindo com ele na mesma, mas se tiver que sair da cozinha, saio e ele fica lá bem sem problemas.

Quando já se comportar melhor e tiver os xixis bem treinados já poderá começar a estar na sala connosco. Para já ainda é muito pequenino e prefiro que esteja na cozinha. Passamos nós mais tempo na cozinha, também não faz mal. Como é muito pequenino temos mesmo que nos ir adaptando e fazer o melhor para ele. Quando puder começar a ir à rua, cá estamos nós para voltar a mudar as rotinas outra vez.

Antes de dormir ainda brincamos mais um pouco com ele e depois seguem-se os rituais, começo por apagar a luz da cozinha e deixo ligada apenas a da sala, enquanto estamos lá.


Quando nos vamos deitar, ele geralmente já está a dormir. Fecho a porta, apago a luz da sala e penso baixinho para mim "até amanhã!".



Leituras da semana numa longa semana

03 outubro 2014


Às vezes as semanas mais longas e preenchidas surpreendem-nos pela positiva! Temos mais energia do que nunca, mesmo quando achavamos que já não havia mais para dar...

Sábado e domingo foram uma espécie de segunda e terça, pois estive a trabalhar... 

As alergias que já não me visitavam há muito, também decidiram aparecer na sexta passada. E por isso nada melhor do que finalmente experimentar o jala neti. Estava tão aflita (nem sei como fiquei assim, já não me lembro de estar naquele estado há anos) que decidi experimentar o jala neti. Tinha um bule já antigo que não usava muito e que me pareceu ter as dimensões certas. Vai daí, toca a experimentar. Acertei nas medidas! Por isso o bule virou mesmo instrumento de jala neti. A experiência não foi tão desagradável quanto esperava que fosse e e nem tão difícil. Claro que não correu lindamente, alguma água fugiu para onde não devia (leia-se boca), mas pelo menos senti-me muito melhor no final. Consegui melhorar e aguentar esse fim-de-semana sem tomar nenhum comprimido.

O fim-de-semana que se avizinha também será preenchido mas por outras razões (mal posso esperar!!) e o tempo em casa também será escasso...

Assim, nestas duas últimas semanas tivemos que planear bem as tarefas a fazer durante a semana. 

Eu bem tento deixar o fim-de-semana livre de obrigações domésticas, mas por mais que queira, vou sempre arranjando desculpas durante a semana "afinal posso fazer no fim-de-semana". Nas duas últimas semanas, não houve desculpas, afinal não ia mesmo estar em casa! Adiantámos algumas refeições, congelámos pão, tratámos de todas as roupas e ainda arranjámos coisas que há muito estavam em lista de espera (sabem quando uma coisa avaria em casa e as outras se sentem solidárias? Pois é, é o que tem acontecido cá por casa...).

Durante esta semana ainda fiz uma visita à capital (a trabalho), tratei dos últimos preparativos antes da chegada do amigo patudo e ainda consegui finalmente arranjar coragem para dizer o que me vai na alma (profissionalmente falando)! Eu não digo que estas semanas cheias nos surpreendem? 


No meio de tudo isto ainda houve tempo para ler:




Este quadro do pinterest cheio de ideias giras para o guarda-roupa (adoro básicos!) 




Blogs:




E tua semana como foi?

Bom  fim-de-semana!


Leituras da semana

Música simples e minimalista: gosto!

24 setembro 2014


Descobri esta banda e esta música assim sem querer. Estou viciada.

Vivo bem sem… #2

22 setembro 2014


Nesta rubrica do blog vou falar-te sobre coisas que deixei de usar/fazer desde que comecei esta aventura minimalista.

Vivo bem...


Notícias

Longe vai o tempo em que víamos as notícias enquanto tomávamos o pequeno-almoço. Como acordamos cedo e fazemos tudo nas calmas, tínhamos tempo para ligar a tv e acompanhar as notícias. Confesso que muitas vezes ficava logo mal disposta de manhã. Depois comecei a perceber porquê. Infelizmente os canais de televisão só se focam em más notícias, ficando as notícias positivas para os últimos 5 minutos. Cansei-me e deixei mesmo de ver notícias. Também não as leio. Acho que é perda de tempo e aquilo que é realmente importante acabamos por saber. Além disso, no trabalho acho que todos os dias alguém comenta alguma notícia! Os meus colegas estão sempre muito bem informados e lêem-nas por mim :)



Perfume
Nunca usei muito, mas era um hábito diário. Até que descobri que os perfumes estão cheios de químicos e, portanto só fazem mal. Por isso para quê usar? Gosto de cheirar bem, claro, mas não acho que o perfume seja necessário para isso. E depois é sempre menos uma coisa a fazer quando saio de casa e também menos uma a ocupar espaço. Por isso adeus químicos e olá poupança!



E tu vives bem sem…?

Leituras da semana

19 setembro 2014


Parece que o mau tempo veio para ficar e as minhas galochas já viram a luz do dia! Confesso que gosto de chuva, mas preferia estar em casa bem enroladinha numa manta no meu sofá e acompanhada de um bom chá. Mas não pode ser, por isso vamos lá arranjar ânimo!











Bom fim-de-semana!

Go slowly: pensa no momento presente

17 setembro 2014


As “go slowly” são pequenas dicas que podemos implementar no nosso dia-a-dia que nos permitem viver de forma mais lenta, relaxada e feliz. Fazem-nos ver a vida de outra forma e ensinam-nos a valorizar as pequenas coisas. Vamos a mais uma dica?

Sempre tive problemas com ansiedade e nervosismo. Embora sempre tenha disfarçado muito bem. Com o minimalismo a ansiedade diminuiu imenso, deixei de pensar em metade das coisas que pensava e aprendi a controlar melhor a mente. E consegui fazê-lo sobretudo porque a mente, tal como a minha vida e a minha casa, se tornaram mais simples e mais organizadas! Mesmo assim, ainda precisei do yoga para ir um passo mais além. O yoga que se pratica numa escola ou em casa não fica lá, vem connosco cá para fora e sentimo-lo em todo o lado. As posições desconfortáveis em que temos que ficar simbolizam as situações desconfortáveis pelas quais temos que passar na nossa vida e se no yoga conseguimos suportá-las, com boa respiração e com a energia que nos envolve, na vida real também o conseguiremos fazer. Todos os benefícios de uma respiração completa serão também sentidos nos momentos mais stressantes, porque o nosso corpo já sabe como respirar devidamente!

E o quê que tudo isto tem a ver com pensar no momento presente?

Ora apesar de ter uma vida e mente mais simples e organizadas e apesar de praticar yoga, não é assim tão simples! Ainda há algo a fazer nas alturas mais stressantes... E o que faço é simplesmente concentrar-me no momento presente! Quando começo a pensar no que tenho que fazer no dia seguinte, ou na semana seguinte ou depois, começo logo a entrar em pânico porque tenho muitas coisas para fazer, porque é fim-de-semana e não quero perdê-lo a fazer coisas para o trabalho, etc. Então simplesmente respiro fundo e penso no agora, penso que não vou fazer nada neste momento e que não me adianta nada pensar no futuro, um momento de cada vez. Se esta semana tenho esta apresentação, então na segunda começo a pensar nela e preparo tudo (faço listas, penso na estrutura e depois começo a treinar), se tenho esta ou aquela reunião também vou preparando uma de cada vez (anoto a agenda/objectivos da reunião...). E, na semana seguinte, logo se vê, vou tratando do que aparecer com calma. Pois se ficar ansiosa, em pânico, só vai piorar! Não vou conseguir fazer nada e só vou prejudicar a minha saúde, portanto não compensa. Claro que na prática isto não é assim tão fácil, mas com a prática consegue-se, acreditem que sim. Esta técnica é também muito útil quando temos que falar em público e para muitas outras situações (não apenas para a vida profissional).

O segredo é mesmo respirar fundo, pensar no momento presente, falar com alguém, anotar o que nos vai na cabeça e planear o que pode ser planeado.

Se eu consigo qualquer um consegue :)




No spending month de volta!

15 setembro 2014


Lembras-te da técnica do "no spending month"?

Pois é, volta e meia gosto mesmo de a pôr em prática. Adio a ida ao supermercado (só costumo fazer compras mensalmente) e tento gastar tudo, mas mesmo tudo o que tenho em casa! Assim também aproveito para lavar todos os frascos onde guardo a comida e também os frascos das especiarias.

Esta técnica é boa para evitar que a comida se estrague e também para poupar. Além de irmos mais tarde às compras e gastarmos o dinheiro mais tarde, acabamos por gastar menos! E porquê? Porque constatamos que a comida dá para muito mais tempo do que pensávamos e conseguimos ser muito mais criativos e fazer refeições mais económicas.

Este mês já eliminei mais alguns itens da minha lista de compras habitual, já fiz receitas que nunca me tinha lembrado antes e já anotei algumas ideias para poupar mais algum dinheiro nos próximos meses.

E tu costumas usar esta técnica em casa?

Update: Por aqui também se falou sobre este assunto.

Leituras da semana

12 setembro 2014


Posts interessantes:

Sobre a força de vontade.

Sobre a mudança (esta história da bicicleta é igualzinha à que aconteceu comigo, lembro-me como se fosse hoje, incrível!)

Algumas ideias preconcebidas sobre um professor de yoga. (Adorei ler! E é engraçado como muitas das coisas fazem sentido para quem quer ter uma vida simples e saudável, mas lido desta forma não tem piada nenhuma, ainda bem que não conseguimos fazer tudo de forma perfeita! A imperfeição é que é que nos dá vida!)


Descobri alguns destes blogs nas férias e li-os praticamente do início ao fim:






Vivo bem sem... #1

09 setembro 2014


Vou começar uma nova rubrica no blog sobre coisas que deixei de usar/fazer desde que comecei esta aventura minimalista. Cá vai a primeira!

Vivo bem sem…

Verniz/esmalte

Deixei de usar verniz de vez! Pelo menos por agora. Usava apenas verniz transparente porque sem ele as unhas partiam-se mais facilmente e pareciam ficar mais fracas. Nas férias aproveitei para ficar sem verniz durante mais tempo e não é que após 2 semanas as unhas ficaram muito melhores? Foi como se tivessem voltado ao estado natural e tivessem deixado de sentir a falta de verniz. Claro que isto não quer dizer que não vá usar nunca mais, mas para já vou aproveitar que o que eu tinha acabou para não usar mais. Afinal está carregadinho de químicos e só nos faz mal (apesar de já existirem algumas alternativas saudáveis, mas que são muito mais caras). Neste momento vivo bem sem ele e as minhas unhas respiram melhor!



Café

Lembras-te quando falei aqui, que gostaria de conseguir deixar de beber café? Pois é, consegui! Aproveitei as férias para começar a reduzir as quantidades, aos pouquinhos. Depois comecei a intercalar dias em que bebia e outros em que não bebia. Em alguns dias bebi chá preto para compensar.

Deixei de sentir dores de cabeça e curiosamente não tive sono nenhum! De manhã costumo sempre beber água com spirulina ou adiciono-a aos sumos/smoothies. Também costumo adicionar um pouco de canela em pó ou nos smoothies ou no leite de soja+café (agora uma bebida de cereais sem cafeína que imita o café) e também vou bebendo água com sementes de chia ao longo do dia. Tudo isto faz com que tenha sempre imensa energia. Por isso adeus café! Foi uma relação duradoura mas já não preciso mais de ti!


E tu vives bem sem…?

Reflexões à chuva

07 setembro 2014


Post em modo desabafo. Escrevo muitos desabafos mas acabo sempre porque nunca os publicar por achar que pouco ou nada têm a ver com o tema do blog. Hoje quis fazer diferente. Afinal nunca se sabe, posso encontrar alguém desse lado no mesmo caminho que eu!


Hoje escrevo de pé na companhia da chuva. Adoro ouvir a chuva, sobretudo no silêncio. As janelas ainda estão quase todas fechadas, os vizinhos ainda estão todos os dormir e eu cá estou, cheia de vontade de escrever e de fazer grandes reflexões de vida...

As minhas estações favoritas do ano aproximam-se e mal posso esperar. Adoro mantas quentes e aconchegantes, chás e comidas acabadas de sair do forno.

A chuva faz-me reflectir e estar no momento presente. Acalma-me e põe-me em modo slowly sem grande esforço.

Também adoro andar à chuva mas isso já tem um efeito completamente diferente. Faz-me rir e ficar cheia de energia. Talvez fosse mesmo isso que eu precisava agora...

Não tenho tido grande vontade de cozinhar, nem tenho tido grandes ideias, ando sem vontade de tirar fotos, de as editar e de fazer coisas criativas.

Sinto a cabeça e o corpo cansados, apesar de ter descansado imenso nas férias e de ter reduzido imenso as coisas que faço em casa. Baixei muito as expectativas e deixei-me de perfeições. Dou prioridade ao importante e ao estritamente necessário e deixo o resto. Há que optimizar o que for preciso e concentrarmo-nos em viver a vida, pois só temos uma!

Neste momento viver a vida passa por descansar bem e recuperar energias. Passa por aproveitar os fins-de-semana da melhor forma e fazer aquilo que realmente gosto.

Em relação ao trabalho ando muito cansada e talvez arrependida em relação a este novo caminho que tomei (ou que decidi que tomassem por mim). Quando não sabemos bem o que queremos corremos sempre este risco.

Não posso dizer que faço o que realmente quero, que adoro o que faço, que sempre quis fazer isto ou sequer que foi para isto que estudei. Nada disso. O meu percurso foi sendo feito, às vezes sem pensar muito e simplesmente aceitando desafios que vão aparecendo no caminho.

Antes nem sequer pensava se fazia ou não sentido, se ia de encontro àquilo que realmente queria na vida. Hoje em dia, já é difícil não pensar nisso, sobretudo devido a tudo que li e aprendi com o estilo de vida minimalista.

Mas e aproveitar nesses conhecimentos e realmente decidir o que quero? E realmente perceber se tudo isto faz ou não sentido? Até penso, até acho que chego a algumas conclusões, mas depois deixo-me ir na correria dos dias e de todas as tarefas que há para fazer. Afinal não há cá tempo para conversas nem desabafos no trabalho, temos trabalho a fazer, temos prazos a cumprir e siga para a frente. 

Quando dou conta não fiz nada do que tinha planeado, não disse nada do que tinha imaginado e conversado comigo mesma.

Depois temos outras pessoas que puxam por nós, que acreditam que somos capazes e que querem que continuemos e nós temos medo de desiludir essas pessoas, não queremos fazê-lo.

Então quem é mais importante neste processo, nós ou aqueles que nos são mais queridos? A resposta não é fácil. Sei que devemos pensar sempre em nós primeiro, mas na prática raramente consigo fazê-lo (pelo menos quando se trata de pessoas que me são tão queridas e importantes).

Talvez esta chuva que ouço e vejo a bater na janela do meu quarto me ajude a pôr as ideias no lugar, me ajude a tomar decisões (eu que sempre fui tão decidida desde miúda e que agora até tenho dificuldade em decidir as coisas mais simples, como o que é o jantar ou se compro isto ou aquilo).

Às vezes forço-me a não pensar em nada e simplesmente a viver, a deixar os dias passar... Como se isso tornasse tudo mais fácil. Mas não torna. Quando "acordo" ainda me sinto mais longe da saída.

Outras vezes, também acho que dramatizo e que faço grandes reflexões de coisas demasiado triviais. Sempre tive queda para o existencialismo desde a adolescência e esse é um traço meu que não consigo apagar. Sempre gostei de filosofia, sempre gostei de reflectir no sentido da vida e isso não irá mudar assim de um dia para o outro. Mas, por outro lado, também gosto deste traço em mim, pois sempre achei que quem vive sem pensar, não sabe bem o que cá anda a fazer.

Mas às vezes penso "Não serão essas pessoas verdadeiramente felizes"?

O que realmente importa nesta vida? Seguirmos os nossos instintos? Ou seguirmos os conselhos de quem nos está mais próximo? De quem nos conhece bem por fora e por dentro? Será que isto é só uma fase? Será que devo esperar? Será que devo tomar já uma decisão?


Às vezes gostava que existisse um livro com estas e outras respostas!


Bom domingo!

O minimalismo e os amigos de 4 patas

03 setembro 2014


Ter um animal doméstico será uma atitude minimalista?

Depois de eliminar aquilo que não interessa, o minimalismo permite-nos focar naquilo que é mais importante para nós e ter um amigo de 4 patas ou até mais do que um sempre foi importante para mim. Sempre vivi com animais desde miúda e desde que tenho a minha própria casa que achava que o cenário não estava completo sem um amiguinho.

Depois de terem sido consideradas todas as hipóteses e mais algumas (pássaros, coelhos, chinchilas, porcos-da-índia, gatos e cães) escolhemos um amigo canino. O cão permite-nos explorar a natureza, andar ao ar livre e pode passear connosco para quase todo o lado, para além de todas as outras coisas boas que qualquer animal nos dá.

Tenho cerca de um mês para preparar a sua chegada e como em tudo o resto, gosto de planear e de comprar apenas o estritamente necessário, por isso tenho lido muito sobre o assunto. Antes de decidir seja o que for é preciso ler e procurar, sobretudo para quem que como eu, nunca teve um cão. Já há muito que queria ter um cão e por isso interesso-me pelo assunto há muito tempo, mas quando sabemos que vamos mesmo ter é sempre diferente. Será que seremos capazes de dar conta do recado? Será que o novo membro da família será feliz? Claro que penso nisso montes de vezes, claro que sinto alguma ansiedade e algum receio de que as coisas possam não correr bem, mas acho que faz parte! 


Receios à parte, vamos à lista daquilo que é importante.
Para já os imprescindíveis:
  • 2 gamelas (água e comida)
  • Cama (o mais simples possível, pois deverá ser facilmente lavável, sem se estragar, e resistente a eventuais mordidelas). Uma de plástico parece-me o ideal
  • Uma mantinha/colchão/toalha para a cama (convém outro/outra para substituir quando for para lavar). Uma simples toalha serve mesmo e os cães adoram!
  • Jornais/tapetes para educação para fazer as necessidades (no caso de usarem os tapetes convém usar um suporte para os mesmos)
  • Pente/escova para o pêlo
  • Toalhitas para desinfectar/limpar o que for preciso
  • Trela para se ir habituando antes de poder sair
  • Alguns brinquedos (é importante colocar brinquedos diferentes em diferentes alturas do dia. Por exemplo quando saímos de casa podemos deixar os brinquedos que eles mais gostam! Assim garantimos que estão entretidos durante mais tempo)
  • Ração/biscoitos para recompensa
  • Soro fisiológico - para limpar os olhos

Itens não obrigatórios/que se podem comprar mais tarde:
  • Peluche+almofadacalefactora (aquece-se no microondas, coloca-se dentro do peluche e mantém-se quente por muitas horas) - é muito útil nas primeiras noites e no inverno
  • Gel para lavar os dentes (com o gel não é preciso escova, aplica-se com o próprio dedo)
  • Clicker (para treino)
  • Champô (só se pode dar banho a partir dos 4 meses)
  • Produto para limpar as orelhas (muito importante para cães com orelhas compridas)
  • Cinto de segurança para o carro 
E depois disciplina, regras e muito carinho :)

E desse lado, o que me recomendam?


Update: entretanto editei o post com a ajuda dos vossos comentários e após o meu pequenito ter chegado a casa.

Setembro e o meu regresso!

01 setembro 2014


Estive de férias. Aproveitei sobretudo para descansar e simplesmente estar. Visitei o meu querido Alentejo. Li muito. Destralhei. Voltei a pintar o cabelo. Dei férias à escrita e também à cozinha. E tenho uma grande novidade: vou ter um amigo de 4 patas! Sinto-me super feliz! :)

Em Setembro regressa o trabalho e com ele, as rotinas. Vou continuar a simplificá-las ao máximo e a preparar as mudanças que aí vêm com a chegada do novo membro da família.

Espero que continuem desse lado! :)

Leituras da semana

03 agosto 2014


Esta semana as leituras chegam mais tarde. Infelizmente o tempo tem sido pouco e não me tenho dedicado ao blog tanto quanto gostaria! Espero que as férias (que estão quase quase a chegar) venham mudar um pouquinho o rumo das coisas.


Então cá ficam as leituras desta semana:

Escutar-nos a nós próprios. A ideia de escrever uma carta a mim mesma pareceu-me interessante e decidi fazê-la no início deste ano, tal como falei aqui.








Aqui vive-se com tempo! (Este post fez-me tanto lembrar sobre o meu querido Alentejo!)


Mini Casas: desconhecia que existia este negócio em Portugal, adorei!

Leituras da semana

Receitas minimalistas #1

23 julho 2014


Apesar de gostar de passar algum tempo na cozinha, também gosto de rentabilizar o tempo e de fazer o máximo em menos tempo possível. Como agora tento fazer tudo em casa em vez de comprar já feito, é necessário uma ginástica maior. Assim prefiro sempre receitas simples e fáceis.


Assim este mês vou mostrar a granola que tenho feito em casa, que adoro, e que é super fácil de adaptar com os ingredientes que mais gostamos; umas barras de trigo sarraceno super rápidas e deliciosas e finalmente quero mostrar-te a água que tenho levado para o trabalho para beber durante o dia.


Adaptei esta receita de granola, adicionando tâmaras partidas aos pedacinhos, substituindo o mel por geleia de agave e as nozes e avelãs por outros frutos secos, como amendoins e castanhas do brasil. A ideia é mesmo adaptar consoante o que temos em casa. Como óleo usei um bocadinho de óleo de côco. Ficou deliciosa!



E ainda veganizei (como eu gosto de dizer) esta receita de barras de cereais substituindo o mel por geleia de agave e o chocolate por cacau. Também não tinha aveia sem glúten e portanto usei a aveia tradicional. Adorei a receita, não ficou muito doce, por isso ficou mesmo como eu gosto! E é óptima para se petiscar durante a tarde.


E finalmente a minha água com sabores! Ultimamente tenho adicionado várias frutas, vegetais e ervas à água. Adiciono num frasco de vidro de 1 litro e deixo-o assim no frigorífico durante a noite. Na manhã seguinte é só virar o conteúdo do frasco (só a água) para a garrafa Sigg que levo para o trabalho e voilá! Água fresca e saborosa todo o dia! Adiciono desde salsa, pepino, limão, pau de canela, gengibre, cerejas, mirtilos, aipo... Basicamente misturo o que me parece combinar bem e vou variando as misturas.





Leituras da semana

Leituras da semana

Viver o momento presente

09 julho 2014


Esta semana as minhas cortinas da sala foram lavadas e por isso há mais luz a entrar lá em casa.

Ontem, no final de jantar, sentei-me no chão da sala encostada ao sofá.

Enquanto bebia o meu chá olhava lá para fora.

A noite estava linda, pacífica, ouvia-se o vento, o mar e via-se a lua.

Senti-me calma, tranquila e a viver o momento.

Quando terminei o chá pratiquei um pouco de yoga e meditei.

Estes momentos inesperados sabem tão bem!

E escrever sobre isto permitiu-me reviver o momento e relaxar :)




Simplificar o orçamento mensal

07 julho 2014


Costumas fazer um orçamento mensal? Anotar aquilo que recebes e que gastas?

Só o comecei a fazer há pouco mais de 1 ano e realmente faz toda a diferença. É tão bom sabermos onde gastamos o dinheiro! Só assim poderemos fazer alguns ajustes, poupar mais aqui, gastar mais ali. 

O template que uso é parecido com este (e tenho-o no google drive, assim está disponível em todo o lado).

Quando comecei a usar este modelo, criei as categorias que considerava necessárias e depois fui acrescentando à medida que ia precisando. Normalmente após usar um modelo durante 2 ou 3 meses, já podemos ter a certeza que está a funcionar correctamente. Não nos podemos é esquecer de ir anotando as despesas.

Anoto as despesas logo que posso. Quando tenho talões guardo para depois anotar, se não tiver talão escrevo uma nota no telemóvel. Há sempre um momento do dia em que ponho tudo em ordem e registo tudo, para não haver esquecimentos.

Já tivemos outras contas e também já tive um cartão visa que cancelei. Agora temos apenas uma conta bancária, onde entra e sai todo o dinheiro. Assim não temos que estar com preocupações com transferências e com cálculos acerca de quem tem que pagar o quê. Também não interessa quem ganha mais ou menos, tudo é partilhado. As compras maiores são sempre decididas em conjunto e temos sorte porque ambos somos poupados. Mesmo assim, é importante conversar muito e falar sobre os objectivos de cada um, afinal um casal/família é como uma equipa e se os objectivos/expectativas de cada um não estão alinhados pode haver muita discussão e muitos dissabores totalmente desnecessários. Obviamente que também é preciso ceder em algumas coisas, se hoje compro eu uma coisa mais cara, no próximo mês compras tu.

As contas da casa (luz, água, gás...) são todas debitadas automaticamente. Controlo sempre as facturas e confirmo se os valores estão todos certos antes de serem debitados. Isto poupa-me imenso tempo! Lembro-me quando tinha que pagar todas as facturas e demorava uma eternidade, já para não falar que tinha que estar preocupada com os prazos. Além disso, também recebo tudo no e-mail e por isso há menos papel cá em casa, menos confusão e menos coisas para arrumar.

Volta e meio e sobretudo no final do ano gosto de analisar em quê que se gastou mais dinheiro e naquilo em que podemos poupar. Acho que um orçamento só faz sentido se fizermos este exercício, pois se não analisamos para quê anotar tudo?

Além do orçamento mensal, tenho um ficheiro onde planeio compras maiores que quero fazer. Por exemplo, as férias, uma máquina fotográfica, um determinado curso. Assim sei sempre quando posso comprar determinada coisa sem prejudicar as poupanças. Anoto a compra, o valor e em que altura pretendo comprar. Pôr o dinheiro noutra conta ou num depósito é bom porque até nos esquecemos que temos o dinheiro e assim quando queremos comprar algo nem sentimos!

Relativamente às poupanças prefiro ter o dinheiro sempre em depósitos. O marido gosta mais dessas coisas e por isso vai pesquisando os depósitos mais atractivos. Assim, quando um estiver próximo do fim já sabemos qual usar a seguir.

Ainda no que diz respeito às poupanças, quando começamos a viver juntos a nossa preocupação era conseguir ter um fundo de emergência, que basicamente é o valor das despesas mensais X 6 meses. Assim sabemos que se um de nós perder o emprego ou se acontecer alguma situação inesperada não temos que nos preocupar com o imediato. Também é importante calcular o valor anual das despesas, afinal há despesas que só temos anualmente, como certos seguros. Nós gostamos sempre de ter uma ideia de quanto gastamos mensal e anualmente para sabermos a quantas andamos. Não se trata de planear tudo ao milímetro, nada disso, mas é importante sabermos com o que podemos contar caso seja necessário.

E tu fazes um orçamento mensal?

Leituras da semana

Como fazer uma mala de viagem minimalista

02 julho 2014


Em viagens de trabalho levo muitas vezes a mala vermelha e cabe tudo lá dentro. A mala preta uso para vários dias/viagens maiores (já levei roupa para 3 semanas). Falta aqui a mala do computador (é da Tucano e é bastante compacta)

Sempre gostei de andar com o mínimo peso possível mas nem sempre foi fácil. Muitas vezes quando viajamos de carro nem nos preocupamos muito com isso, afinal o carro leva. Quando se anda de transportes públicos já não é bem assim. Ultimamente por questões de trabalho tenho andando de comboio e a pé e passo alguns dias fora. Por essa razão tenho mesmo que me preocupar com o peso.

Então o que levo na carteira/mala/mochila:
  • Portátil + carregador + rato - apenas em viagens de trabalho
  • Cabo usb para carregar telemóvel
  • Casaco / parka - que levo vestido
  • Casaco de malha - dependendo do tempo levo vestido ou na mala (quando tiver mais calor um dos casacos pode ficar em casa)
  • Calças - levo apenas um par e vai vestido (se forem 2 ou 3 dias), se forem mais levo mais um par
  • Sapatos - apenas um par e vão calçados (se forem 2 ou 3 dias), se forem mais levo mais um par
  • Chinelos - Só levo se passar mais do que uma noite, se for apenas uma uso os sapatos 
  • Blusas/t-shirts - uma por dia
  • Roupa interior e meias - apenas o estritamente necessário para cada dia (coloco dentro de um saco de tecido)
  • Dobro a roupa sempre em rolinhos pois assim não fica amarrotada e mal chego ao hotel estendo na cama (muito bem esticadas como se estivesse a passar a ferro) ou penduro nos cabides
  • Itens do wc - líquido lentes (levo apenas a quantidade necessária e para mais 1 dia. Não ando carregada com a embalagem que é enorme - faço assim, coloco o líquido directamente nas caixinhas das lentes e fecho bem, se preciso de líquido para 2 dias levo 3 caixas), óculos, creme para rosto e corpo (um que dê para ambos), pasta dentes (coloco a quantidade necessária numa caixa de lentes que tenho à parte) e escova de viagem (daquelas mini), desodorizante, pente (com cabelo curto um pente é suficiente)... Quanto ao gel de banho e champô depende, às vezes levo umas mini embalagens com os meus produtos, outras vezes uso do hotel (apesar de não gostar muito). Mas quando tenho que levar mesmo o mínimo acabo por usar do hotel.
  • Depois levo uma carteira/mala apenas com o essencial - a minha carteira minimalista, telemóvel, garrafa de água (a minha da sigg é de 1 litro e para não ocupar muito espaço acabo por comprar uma de plástico mais pequena para estes dias e depois vou enchendo). Frutos secos, 1 ou 2 peças de fruta. Quando a viagem de regresso é à hora de jantar trago sempre algo para petiscar durante a viagem. Num nécessaire mini também tenho lenços de papel, uma toalhita e baton de cieiro.

Numa ida a Lisboa com o marido, para 2 dias e 1 noite, levei apenas a mochila que uso aos fins-de-semana (fomos de comboio e andamos muito a pé):


Nos sacos brancos a roupa de cada um para o dia seguinte e no saco verde os produtos de higiene. O resto dos itens: óculos graduados dos 2, chaves de casa, necessaire que uso todos os dias (a carteira dos documentos está lá dentro), carregador e phones:



Quando chego ao hotel, costumo estender a roupa para o dia seguinte em cima da cama e assim a roupa deixa de estar amarrotada (claro que ao colocar na mochila/mala tento dobrar da melhor forma, o que já ajuda bastante):


Às vezes ainda fico a pensar "E se acontece alguma coisa? Se sujo ou rasgo alguma peça de roupa?" Se precisar compro outra peça! Prefiro do que andar carregada desnecessariamente porque sei que é pouco provável que isso aconteça.

E é isto que levo na minha mala minimalista! 

E tu tens alguma dica para carregar menos peso?