Sondagem aos leitores e outras coisas

30 junho 2013


Tenho andado a pensar se devo ou não criar uma página no facebook para o blog...

E nada melhor do que perguntar aos entendidos: os leitores!

Se puderem é só responder ali ao lado.

Falando de outras coisas, já devem saber que o google reader vai acabar amanhã... Eu já transferi todas as minhas feeds para o bloglovin.

Se quiserem passar a seguir este blog por lá é só clicar no mais ali ao lado ou aqui

Follow on Bloglovin

Obrigada :)

O Speed Cleaning

27 junho 2013

Quando a rotina/ritmo de limpeza durante a semana não pode ser posta em prática, recorro ao plano B: o speed cleaning!


Descobri a técnica do speed cleaning há já algum tempo (e já tinha falado um pouco dela aqui), numa das minhas pesquisas pela net... Andava eu à procura de formas de perder menos tempo a limpar a casa (algo que sempre me ocupou demasiado tempo) até que descobri um site americano sobre o assunto (pensei logo "esta invenção só poderia vir das Américas!"). Na altura vi mesmo um vídeo de demonstração sobre a dita técnica...

Então o que é isto do speed cleaning? Basicamente é limpar a casa de forma eficiente, perdendo pouco tempo! E não pensem que por ser speed se trata de uma corrida. Nada disso! Até porque por aqui já sabem: tudo é feito (ou pelo menos tenta-se que assim seja) em modo go slowly!

Então o speed cleaning consiste numa limpeza rápida por 4 razões:
  1. apenas nos focamos no essencial e limpamos só o que está sujo (nada de tirar o conteúdo de armários e estantes nem arrastar móveis);
  2. mantemos a casa minimamente organizada e limpa (no dia-a-dia) e antes de começarmos a limpar arrumamos o que está fora do sítio/removemos tapetes/coisas do chão;
  3. reunimos todos os materiais necessários (e assim evitamos parar para ir buscar mais isto e mais aquilo);
  4. e seguimos uma determinada ordem - da direita para a esquerda (ou o contrário), de cima para baixo (aqui convém mesmo ser assim por causa do pó que vai caindo). A ideia aqui é evitar andar tipo barata tonta pois isso só nos faz perder tempo!
Já sabem que quanto menos objectos, móveis e tapetes tiverem em casa, mais rápida é a limpeza!
Muitas vezes quando estou a limpar se pensar algo do género "Isto é uma seca, demora imenso a limpar/suja-se tanto" já é meio caminho andando para me livrar desse objecto (a não ser claro que seja algo que gosto mesmo muito, mas aí não me costumo queixar da sua manutenção...).

Por cá a limpeza speed cleaning faz-se assim:

- Arrumo tudo o que estiver desarrumado (podem usar um cesto para transportar as coisas, ajuda muito sobretudo para quem tem uma casa grande/tem muitas coisas);

- Abro as janelas de toda a casa (geralmente faço isto na altura em que ando pela casa toda a ver o que está fora do sítio);

- Reúno todos os materiais necessários para a limpeza (aspirador, panos, espanador, balde, esfregona);

- Espalho os detergentes caseiros pelos WCs para que fiquem a actuar enquanto limpo o resto da casa;

- Limpo o pó (com o pano microfibras e o espanador);

- Coloco as cadeiras da sala de jantar em cima da mesa (para ser mais fácil aspirar);

- Aspiro toda a casa e o sofá da sala (no sofá aspiro mesmo o essencial, nada de perder tempo a tirar todas as almofadas - daquelas que estão mesmo presas ao sofá - aspiro só mesmo as áreas mais visíveis);

- Limpo os WCs (e como os detergentes já estão aqui há algum tempo a limpeza é muito mais rápida) e passo a esfregona no chão;

- Limpo os balcões da cozinha e a banca e passo a esfregona no chão;

- Caso seja dia de limpar o chão de toda a casa, mudo a água do balde, lavo a esfregona e limpo o chão de toda a casa (depois de remover os tapetes). Nestas alturas aproveito para colocar os tapetes na varanda a apanhar sol.

Geralmente 1h e 20m (ou um bocadinho menos se não tiver que limpar o soalho de toda a casa) é suficiente para arrumar e limpar toda a casa (que é um T2+1).

Os ajudantes são sempre bem-vindos! No meu caso, um deles é a música (que ainda não faz a tarefa mas ajuda a fazê-la de forma mais animada) e o outro, o marido, que quando está em casa já sabe que é recrutado para ajudar. Assim ainda é melhor, a limpeza é feita em metade do tempo! Por isso se puderem arranjem ajudantes :)

Espero que tenham gostado das dicas!

Cuidar da casa de forma simples e ecológica

25 junho 2013

Voltando aos ritmos, comecei a experimentar um novo recentemente: limpar a casa durante a semana, dividindo as tarefas por vários dias.

No ano passado, realizava estas tarefas durante a semana num só dia (fazia speed cleaning) e deixava o fim-de-semana livre de tarefas domésticas (com a excepção de lavar a roupa), mas este ano perdi este hábito (devido ao que falei aqui) e estava a ser difícil recuperá-lo...

Como já andava a aborrecer-me por ocupar (grande) parte do fim-de-semana com as limpezas, decidi que isto tinha que mudar e procurei algumas dicas sobre o assunto. Depois de as encontrar, resolvi fazer o meu horário e pô-lo em prática:

Segunda – WCs / mudar e lavar toalhas
Terça – Limpar pó / Aspirar
Quarta – Limpar o chão
Quinta – Descanso
Sexta – Descanso
Sábado – Lavar a nossa roupa e os lençóis
Domingo – Recolher e arrumar roupas (se a roupa não secar faço-o no dia seguinte)

A cozinha vou limpando durante a semana, por isso não defini um dia específico para o fazer.

Basicamente o que importa aqui é a sequência. Caso na segunda não possa limpar os WCs, faço-o no dia seguinte e assim sucessivamente. Tal como referi no post sobre os ritmos, nenhuma rotina é inflexível. Afinal as rotinas/ritmos servem para facilitar a nossa vida e não para a complicar.

A ideia deste ritmo/rotina é fazer uma limpeza rápida, na maior parte das vezes, e apenas limpar mais aprofundadamente quando vejo que tal é necessário. Como mantemos a casa sempre arrumada e relativamente limpa as limpezas são feitas muito rapidamente.

Aos fins-de-semana, como acordo cedo, trato logo das tarefas após acordar (também é rápido pois é só tratar da roupa) e depois fico com o resto do dia livre.

(Desde que tenho cão, a casa suja-se mais, por isso limpo o chão da cozinha várias vezes por semana e sempre que necessário também aspiro ou passo uma mopa pelo menos na entrada/corredor/sala).

E como cuidar da casa de forma simples e ecológica?

Para limpar praticamente tudo, uso 3 coisas:
  • Detergentes caseiros (que guardo em 2 embalagens com pulverizador) - solução mais forte com vinagre (de vinho branco) (daqui - adiciona umas folhas de louro no frasco/embalagem, fica um cheiro muito agradável) e uma mistura de água morna com bicarbonato de sódio (faço na hora e uso para limpar as mármores como referi aqui).
  • Bicarbonato de sódio (uso para quase tudo, para limpar a cozinha e os WCs, para lavar a roupa, para lavar a louça...) - costumo comprar estes pacotes e depois guardo o bicarbonato dentro de um frasco pois assim é mais fácil de usar.

  • Panos de microfibras - uso em tudo (na cozinha, WCs, móveis). Adoptei um sistema por cores e assim cada cor tem um uso específico (escrevi e colei na caixa dos panos para não esquecer). Por vezes, também uso alguns farrapos (aproveitei de t-shirts velhas) para limpar o chão/calçado.



O importante é fazer uma limpeza ecológica, recorrendo a produtos amigos do ambiente e também económicos. Mais dicas aqui.  


Explicando cada uma das tarefas detalhadamente...

1. Limpar WCs:
  • Espalhar bicarbonato de sódio + detergente caseiro (com vinagre)  nas louças e vidros e deixar actuar;
  • Esfregar com escova ou meio limão (depois de usar um limão para cozinhar ou fazer chá não o deito logo fora, reutilizo-o ainda nas limpezas - o importante é ter a casca para se poder usar como esponja/esfregão);
  • Limpar as escovas de dentes colocando-as de molho em água e água oxigenada (em partes iguais);
  • Limpar as mármores - uso o borrifador com água morna e bicarbonato de sódio nos balcões e paredes da banheira. Para o chão, coloco no balde: meia chávena de bicarbonato de sódio e água quente. As paredes de todo o WC apenas limpo 1 vez por mês ou menos até, só as da banheira é que limpo todas as semanas;
  • Limpar os espelhos - uso o detergente caseiro com vinagre e um pano microfibras;
  • Mudar as toalhas.
Para limpar os WCs de forma mais rápida costumo, antes do jantar por exemplo, espalhar o bicarbonato e os detergentes caseiros. Assim enquanto os detergentes trabalham eu janto sossegada. No final, é só passar a escova/pano e água. Deixei de usar esponjas na limpeza do WC pois acho que não são nada ecológicas (além de acumularem muitas bactérias) e ainda não consegui encontrar uma alternativa ecológica. Então uso escovas: uma assim (tenho uma igual para a louça da banca) e uma escova de dentes velha.


2. Limpar pó/Aspirar/Tapetes:
  • Arrumar tudo o que estiver fora do sítio (temos este cuidado diariamente, mas mesmo assim há coisas que escapam, então antes de começar a limpar o pó passo pela casa toda e arrumo o que estiver fora do sítio);
  • Limpar o pó com o pano de microfibras humedecido e um bocadinho de detergente caseiro de vinagre (só mesmo um bocadinho pois esta mistura de vinagre é forte), por vezes também uso um espanador (daqueles que agarra o pó) para limpar sítios mais altos;
  • Limpar interruptores e puxadores (aqui já posso usar a mistura com vinagre à vontade);
  • Aspirar (aspiro o sofá da sala com uma escova própria e o chão);
  • Tapetes - uso esta luva (é óptima para retirar todo o pêlo de animal de qualquer tipo de tecido) e depois aspiro.

3. Limpar chão (cozinha/soalho)


  • Chão da cozinha - detergente caseiro com vinagre;
  • Soalho - não limpo todas as semanas, apenas o faço quando vejo que está a precisar. Sermos só duas pessoas cá em casa (mais um cão) e tirarmos logo os sapatos mal chegamos, ajuda bastante (e sim também limpo as patas ao meu cão ehehe). Misturo num balde umas gotas de detergente da roupa (ecológico) + ¼ de copo de vinagre branco (tem que ser mesmo pouco vinagre pois se usado em excesso pode retirar o brilho deste tipo de chão) num litro de água morna.
Nota: uso duas esfregonas: uma para a cozinha e outra para o soalho e WCs (pois são em mármore e não posso usar o detergente da cozinha que é demasiado abrasivo).
No final, lavo as esfregonas com um pouco de detergente da roupa. Coloco detergente da roupa num balde com água quente e deixo uns minutos, depois coloco a secar na varanda com a cabeça da esfregona para cima.


4. Lavar roupas
  • Detergente para a máquina/lavar roupa à mão - geralmente utilizo da marca L'Arbre Vert - dá para lavagem manual e à máquina; por vezes adiciono bicarbonato de sódio ao detergente, pois torna a lavagem da roupa muito mais eficiente e adiciono sempre meia chávena de vinagre (de vinho branco) (no compartimento do amaciador) pois funciona como amaciador e é muito bom para remover todo o tipo de cheiros (na lavagem da roupa do exercício físico não pode faltar). Também costumo adicionar umas gotas de óleo essencial (para dar um cheiro suave, pois não uso amaciador). Neste momento estou a usar óleo essencial de lavanda.
Há também alternativas de detergente que podemos fazer em casa, como este da Rita.

E há também as nozes de saponária, que podem ser reutilizadas diversas vezes.

Algumas dicas para gastar menos tempo a tratar da roupa (e sim, eu não passo a roupa a ferro, só se for uma peça muito específica que necessite mesmo).

5. Limpar cozinha - faço-o quase todos os dias, por isso não tenho um dia específico para esta tarefa. Os armários (por dentro e por fora) vou limpando à medida que vejo que estão sujos, o mesmo acontece com o interior do frigorífico, por exemplo. Apenas quando desligo o frigorífico/congelador para remover o gelo é que costumo fazer uma limpeza mais profunda (e neste caso também uso os mesmos detergentes caseiros que já referi).

  • Balcões - detergente caseiro com vinagre;
  • Detergente da louça - compro este ecológico (estou muito satisfeita, além de lavar bem não me causa qualquer alergia ou irritação na pele);
  • Esponja - quero arranjar uma alternativa ecológica, para já uso uma normal. Conhecem alguma?
  • Escova - para remover os restos de comida antes de colocar a louça na máquina;
Dica: uso este recipiente para guardar a esponja, a escova e o detergente da louça. Quando acabo de arrumar a cozinha, arrumo o recipiente no armário e já está: balcão livre!
  • Panos para limpar a banca e cozinha - uso os de microfibras (mudo o pano todos os dias ou de 2 em 2 dias, lavo na máquina e fica como novo. Acabaram-se os conhecidos "panos amarelos" que duravam pouco tempo e iam logo para o lixo);
  • Para lavar a louça na máquina - utilizo as pastilhas ecológicas da Ecover . Como abrilhantador uso vinagre (que coloco mesmo no compartimento da máquina para o efeito). Antes de ligar a máquina pulverizo toda a louça com detergente caseiro de vinagre (a louça fica muito melhor lavada, sobretudo quando há algumas peças com gordura, além disso o próprio interior da máquina também fica mais limpo).

E quando este plano (da divisão de tarefas pelos vários dias) não pode ser posto em prática? (Ou porque nessa semana estive mais cansada ou porque cheguei mais tarde a casa...). Recorro ao plano B: o speed cleaning!


E vocês, também usam produtos ecológicos nas limpezas? E seguem alguma rotina?

O que comem os vegans? Uma semana de refeições

20 junho 2013

Como nem sempre percebem bem aquilo que nós, vegans/vegetarianos, comemos, resolvi partilhar convosco uma semana inteirinha de refeições (semana passada). Espero que gostem! :)

Começando pelo pequeno-almoço, geralmente durante a semana este é constituído por: fruta (1 peça), café, pão (de cereais, de soja, ou integral) barrado com creme de soja ou com pasta de amendoim. Aos fins-de-semana, por vezes, gosto de fazer alguma coisa diferente como batidos/sumos, panquecas e/ou muffins de maçã e canela. Não consigo mesmo sair de casa sem tomar o pequeno-almoço, por isso levanto-me sempre cedo para ter tempo de o preparar e comer calmamente.

Para os lanches (a meio da manhã e à tarde) costumo comer: bolachas (o que tiver em casa, desde que sejam veganas qualquer coisa serve), iogurte de soja, frutos secos (nozes, amêndoas, avelãs, cajus, castanha-do-pará, bagas de goji) e fruta. Levo várias coisas para o trabalho e depois como e misturo o que me apetecer. A água durante o dia também não pode faltar, costumo levar uma garrafa (de 1 litro) de casa.

Os almoços (durante a semana) são geralmente preparados em casa para depois levar para o trabalho. Costumo cozinhar quase sempre a mesma coisa: massa/couscous/sêmola de milho com vegetais salteados (costumo incluir vários, mas nunca me esqueço de leguminosas), às vezes também adiciono soja ou tofu (o que tiver à mão). O importante aqui é que sejam coisas fáceis e rápidas de cozinhar e também práticas (nada de coisas complicadas pois costumo almoçar ao livre).


Claro que nem sempre faço o almoço, ou por falta de tempo ou mesmo por preguiça... Nesses casos, almoço num restaurante vegetariano perto do trabalho (tem opções veganas) ou no shopping (onde também consigo comer uma massa só com vegetais, por exemplo).

Quando chego a casa ao final do dia, muitas vezes preparo e bebo um sumo. Como não costumo beber às refeições, gosto de beber qualquer coisa antes.

Então e o jantar? O que se jantou por aqui na semana passada?

Segunda - Macarrão com vegetais salteados:


Terça - Risoto de pimentos e tofu fumado:


Quarta - Seitan às tiras com espinafres, ervilhas e cenoura, acompanhado por arroz agulha com açafrão:


Quinta - Pizza caseira com molho de tomate, vegetais, salsichas (de soja), chouriço (de seitan) e tofu fumado:







No final polvilhei com levedura de cerveja* (em flocos) para lhe dar aquele gostinho parecido com o queijo.
*A levedura de cerveja em flocos é menos amarga do que a levedura em pó.


Sexta - Caril “aldrabado” de tofu e vegetais com arroz (costumo fazer com arroz basmati mas desta vez não tinha):
Chamo "aldrabado" pois fiz com natas de aveia e não com leite de côco.



Ao fim-de-semana há sempre mais tempo para nos dedicarmos à cozinha...

Sábado, ao almoço - panados de seitan e tofu, arroz selvagem e legumes salteados (feijão verde, ervilhas, pimentos, cebola, cogumelos) polvilhados com amêndoa, avelã e sementes de linhaça (após passar tudo no triturador) e ainda levedura de cerveja.


Sábado, ao jantar - Sandes de pão de forma integral com panados de seitan e tofu, mortadela vegetal, alface, tomate e maionese vegana (da diese).

Domingo, ao almoço - Tofu com natas - receita daqui (parece mesmo mesmo bacalhau com natas, a sério!):


Domingo, ao lanche (tive convidados) - fatias de framboesa (a receita original é com amoras):


Domingo, ao jantar - espetadas de tofu/seitan, cogumelos, pimentos e cebola com arroz integral e salada.


Nesta semana usei muitas e vezes tofu e seitan (pois após abrir uma embalagem deve comer-se entre 2 a 3 dias e não ficam bons congelados portanto tive mesmo que os usar) mas há semanas em que não comemos nem um nem outro, há sempre alternativas como soja, tempeh ou simplesmente leguminosas/vegetais. 


Ao serão, há sempre chá (sem açúcar). Eu gosto mesmo de me deitar com o estômago vazio, mas para quem não gosta, pode sempre acompanhar o chá com umas bolachinhas ou então comer fruta em vez do chá.


Go slowly: dança!

12 junho 2013

As “go slowly” são pequenas dicas que podemos implementar no nosso dia-a-dia que nos permitem viver de forma mais lenta, relaxada e feliz. Fazem-nos ver a vida de outra forma e ensinam-nos a valorizar as pequenas coisas. Vamos a mais uma dica?



A música consegue deixar-nos mais alegres, felizes e bem-dispostos. A dança além de nos transmitir essa alegria, transmite-nos também energia e ainda nos permite exercitar o corpo e perder algumas calorias.


Por isso...

Coloca a tua música preferida e dança!

Liga a tv num canal de música e dança!

Se não quiseres ser visto por ninguém, dança quando estiveres sozinha(o) em casa, mas dança!

Veste uma roupa confortável, ou não vistas nada, e dança!

Mexe todas as partes do teu corpo e sente a música.

Vais ver que no final te sentes mais feliz e com mais energia!

Eu adoro dançar e sinto-me tão bem depois de o fazer :)



Sumo de frutas, de vegetais e do que se quiser

10 junho 2013


Ando numa fase de fazer sumos. Acho que tenho feito quase todos os dias.

E foi graças à Vanessa que voltei a fazer estes deliciosos sumos, pois há anos que não me dava para isto! Por isso só tenho que lhe agradecer pela inspiração :)

Ontem fiz um com cenoura, maçã, limão, gengibre fresco, avelãs, pinhões, amêndoas e sementes de linhaça. Depois adicionei água. Mas podem também adicionar água de côco ou leite.





Basicamente faço-os com o que tiver à mão, não sigo grandes regras. Tento fazer pouca quantidade pois convém ser bebido na hora (para não perder as suas fantásticas qualidades) e quando o marido não me acompanha faço um copo só para mim.

Os sumos são bons porque em pouco tempo e sem grande trabalho consumimos uma grande variedade de nutrientes e vitaminas. E agora que começa a ficar mais calor ainda sabem melhor!

E vocês costumam beber sumos/batidos?


Os meus rituais

07 junho 2013


E depois de termos falado de ritmos, nada melhor do que falarmos dos rituais!

A Brooke diz-nos no seu livro que além dos ritmos, também os rituais poderão contribuir para uma vida mais simples e calma. Apresento-vos aqui 6 desses rituais (4 referidos pela Brooke e 2 inspirados nela mas feitos por mim - o do chá e o ritual de beleza semanal).



1. Um deles é o “brain dump”, que consiste literalmente em despejar para um papel ou para o computador tudo aquilo que nos vai na cabeça (alma).

Apenas o faço, quando sinto que tenho muitas coisas em que pensar ou quando estou preocupada com algo. Aí passo tudo para o papel ou para o computador. Escrevo, escrevo, escrevo até não sair mais nada. Faz-me tão bem!


A ideia é depois, organizar esta informação, ver quais as tarefas mais importantes, aquilo que temos que fazer no dia seguinte e também aquilo que pode ficar para outra altura. Algumas coisas que até parecem muito importantes podem até nem o ser. Outras, ainda temos que pensar, pois ainda não encontramos uma solução... Essas deixamos de lado para voltarmos a elas, mais tarde. A ideia deste exercício é mesmo acalmar o nosso estado de espírito e dar alguma ordem ao caos que, por vezes, se instala na nossa cabeça, tal é a correria do nosso dia-a-dia.



Para fazer este exercício precisam de:
  • Papel e caneta ou computador;
  • Arranjar 5/10 minutos sem interrupções;
  • Escrever (tudo o que vai na cabeça);
  • Organizar a informação: aqui é importante identificar as 3 tarefas mais importantes. Estas devem ser aquelas que temos que fazer em 1.º lugar. As restantes deverão ficar em segundo plano ou mesmo ser eliminadas (para a Brooke este é o ritual em que se define as 3 tarefas mais importantes do dia, mas resolvi aqui ligá-lo ao "brain dump", pois quando faço o brain dump, este ritual vem logo de seguida).



2. Outro ritual muito importante é o “momento de gratitude”. 

Muitas vezes, esquecemo-nos das pequenas (grandes) coisas que fazem toda a diferença na nossa vida, esquecemo-nos também do que correu bem e só nos centramos no que correu mal... Portanto sempre que posso tento pensar “O que correu bem hoje?”. Geralmente três coisas são suficientes para ficarmos logo com um grande sorriso. 
Agora até faço uma coisa nova, todos os dias digo à minha irmã as 3 coisas boas do meu dia e ela diz-me as dela. Geralmente fazemos esta troca por e-mail para que as coisas fiquem registadas :) Adoro este exercício!







3. O ritual do chá...

Geralmente todas as noite tomamos chá. Enquanto conversámos, enquanto vemos alguma coisa. Costumo fazer chá verde, mas também gosto de ir variando e como adoro chá, tenho sempre vários cá em casa. Este ritual permite-nos preparar o corpo e a mente para a hora de dormir, pois relaxamos por dentro e por fora.









4. "Single-tasking"


Num sociedade que valoriza o multi-tasking e vidas ocupadas, é normal termos muitas vezes várias coisas para fazer ao mesmo tempo. Tenho tentado cada vez mais combater este meu velho hábito e obrigo-me a fazer uma coisa de cada vez. Nem sempre é fácil e por isso mesmo a Brooke diz-nos para tentarmos fazê-lo pelo menos uma vez por dia. A ideia é escolher uma tarefa em que possamos aplicar este princípio. Poderá ser a fazer o jantar, a limpar a casa, a ler, a ouvir música. Escolham uma tarefa para praticarem este exercício e concentrem-se apenas nessa tarefa e em nada mais (tentem sentir os cheiros, ouvir os sons, ouvir a respiração...). Vão ver como até é possível relaxar a limpar a casa ou a cozinhar (mesmo para quem não gosta de o fazer).





5. "Passar tempo offline":

A Brooke refere como é importante passarmos algum tempo desligados do computador, das redes sociais, das notícias. Acho isso cada vez mais importante e noto as diferenças em mim, quando passo mais tempo offline. Fico mais calma, mais relaxada e às vezes, diria até, mais alegre e bem-disposta. É que se, muitas vezes, nos sentimos bem porque estamos a ler algo que gostamos na internet, outras vezes, ficamos tristes e revoltados, porque determinada coisa (mais infeliz) veio parar ali à nossa frente e é este tipo de coisas que não conseguimos controlar. O mesmo acontece quando vemos televisão, nunca sabemos bem o que nos vai aparecer à frente e que nos irá incomodar... Por isso o melhor mesmo é fazer um jejum de todas estas coisas e viver apenas aquilo que nos rodeia, na sua forma mais simples: estar com a família, amigos, passar tempo em contacto com a natureza, a ler um bom livro, a tirar fotos...





6. Ritual de beleza semanal
Este é o meu ritual semanal e acho essencial para nos sentirmos melhor, connosco e com os outros. É outra óptima forma de passarmos tempo offline, por exemplo. Este miminho semanal faz sem dúvida, toda a diferença, acreditem.



E vocês têm algum ritual especial?

Novos e velhos ritmos - Parte II

05 junho 2013


As rotinas ou os ritmos...

Como andava a sentir-me bastante cansada (quer de manhã, quer ao final do dia - como contei aquipassei a fazer mais coisas no final do dia (a deixar o máximo de coisas preparadas para o dia seguinte), pois de manhã estava a ser muito difícil levantar-me, quanto mais levantar-me mais cedo... Agora as coisas já estão mais equilibradas e voltei a conseguir acordar mais cedo. Mesmo assim continuo a preferir gastar esse tempo para mim e para relaxar, por isso continuo a preparar o máximo de coisas no dia anterior. Até o café e a água ficam já na cafeteira.


Então como podemos definir rotinas ou ritmos?

O que a Brooke nos propõe, num dos exercícios do seu livro, é avaliar determinados momentos do dia, por exemplo as manhãs e definir três coisas:

  • aquilo que é obrigatório (temos mesmo que fazer, não há hipótese);
  • aquilo que é necessário (aquilo que nos permite ter uma manhã mais calma, por exemplo meditar) e
  • a respectiva sequência.

Portanto foi este exercício que fiz quando li o livro. Entretanto tenho alterado algumas coisas e ando a ver aquilo que se adapta melhor.


Então como são os meus ritmos durante a semana...


Manhãs


Há muito que queria voltar a levantar-me mais cedo para meditar. Já antes tinha este hábito e posso garantir-vos que o dia corria muito melhor, eu sentia-me muito mais relaxada e muito menos cansada.

Voltei a colocar o despertador mais cedo, primeiro 10 minutos, depois 15 minutos, depois 20 e depois 30 minutos.

Agora acordo sempre às 6h. Já está interiorizado e nem me atrevo a mudar a hora do despertador.

Tenho tempo para fazer algumas posições de yoga e para meditar.

O meu tapete de yoga

Como acordo cedo (quase 1h e 15/20m antes de sair de casa) geralmente tenho tempo para arrumar a louça do pequeno-almoço e fazer uma ou outra tarefa (como recolher a roupa, arrumar a louça da máquina). É tão bom chegar a casa e não ter este tipo de coisas para fazer, por isso é que acho que compensa fazê-lo de manhã. Claro que quando não dá para fazer, não faço, nada de dramas. Afinal a rotina não é inflexível!

Se quiserem acordar mais cedo façam o seguinte exercício:
  • registem a vossa hora de saída (de casa);  
  • todas as tarefas que têm que fazer e também aquelas que gostariam de passar a fazer; 
  • o tempo que acham que demorariam a fazer cada uma delas (convém sempre dar mais tempo); 
  • dividam algumas tarefas pelos vários membros da família;
  • no final, registem a sequência das tarefas.

Depois é só pôr a rotina à prova e adaptar alguns pormenores até descobrirem aquela que melhor se adapta a vocês e à vossa família. Este exercício pode ser feito com qualquer altura do dia. Para alguns pode ser melhor começar pelas alturas mais complicadas do dia, enquanto para outros poderá ser melhor começar pelas mais fáceis. Por isso, façam-no à vossa medida.


Quanto ao meu final de dia...


Quando chego a casa e depois de tirar os sapatos e pousar as coisas nos sítios certos (carteira, chaves, telemóvel, garrafa de água, saco da comida), visto uma roupa confortável e faço algum tipo de exercício físico. Se o tempo estiver agradável, ainda medito um pouco na varanda. Depois trato de mim e vou jantar. Quando é o marido a tratar do jantar, trato só de mim e sabe lindamente! Quando o tempo permite (o que faz lá fora e as horas a que chego a casa) vou dar uma caminhada/corrida junto à praia (sabe tão bem! E sei que me devia obrigar a fazê-lo mais vezes ao final do dia... Esta parte ainda tem que ser trabalhada e melhorada).

No final de jantar é tempo de arrumar a cozinha (e obrigo-me mesmo a fazê-lo logo de seguida!). O marido também já sabe deste truque por isso arruma logo a mesa. Enquanto estou na cozinha, tento já deixar algumas coisas preparadas para o dia seguinte: 

Aqui os almoços para 2 dias - legumes com sêmola de milho, a louça do pequeno-almoço e a louça lavada na banca


Depois das tarefas domésticas e de preparar a roupa para o dia seguinte, há tempo de qualidade a dois (a coisa mais importante do dia!), tempo para falar com a família, tomar chá (este é um ritual diário) e para o que nos apetecer. 

Quanto à hora de dormir, tento deitar-me por volta 22.30/23, mas nem sempre consigo. No entanto faço um esforço para nunca me deitar depois das 23h (caso me deite mais tarde num dia, tento compensar no dia a seguir, deitando-me mais cedo).


Fins-de-semana

O fim-de-semana deve ser o menos estruturado possível, para fazer o que me apetecer no momento. E o objectivo é fazer o mínimo possível de tarefas domésticas para sair à vontade, fazer exercício, estar com a família/amigos, enfim fazer as coisas que realmente gosto de fazer. Apenas gosto de tratar da roupa, porque assim lavo a roupa que foi usada durante a semana, consigo colocar as almofadas a apanhar sol e abro as janelas do quarto para a cama arejar (sem lençóis). Isto faço-o logo ao sábado de manhã (pois acordo cedo, no máximo às 8h) e por isso fico com o resto do fim-de-semana livre.

Quanto às restantes tarefas (mais concretamente a limpeza da casa) estou a experimentar um novo ritmo e falarei disso num próximo post...

Outra das coisas que gosto de fazer ao fim-de-semana é passar algum tempo na cozinha. Geralmente aproveito os fins-de-semana para experimentar novas receitas ou para fazer receitas mais demoradas. Houve alturas em que planeava os menus para durante a semana e, por isso, fazia alguma comida para congelar, mas deixei de o fazer. Prefiro decidir durante a semana, no próprio dia ou no dia anterior. Também tento fazer comida a dobrar e por isso, muitas vezes, jantamos a mesma coisa duas vezes seguidas, apenas faço uns legumes frescos para acompanhar. 

Sei que mesmo para quem gosta de cozinhar, às vezes é cansativo ter que chegar a casa e ainda preparar uma refeição completa (sobretudo para quem tem cuidado com a alimentação e não se contenta com qualquer coisa), mas não é a comida das coisas mais importantes da nossa vida? Não é a alimentação que nos permite viver e sobreviver?

A propósito disto, a Brooke diz no seu livro uma coisa muito interessante, relacionada com a forma como vemos as coisas. Podemos tentar ver as coisas pela positiva! Por exemplo, é cansativo chegarmos a casa depois de um dia de trabalho e ainda termos que fazer o jantar, é, mas compensa, estamos a cuidar de nós e da nossa família e isso a longo prazo (se a comida for saudável) traduz-se numa melhor qualidade de vida, menores despesas no médico...

E porque não aproveitar esse tempo na cozinha, para estar em família e contar com a ajuda de todos? Até se pode demorar mais, mas ganha-se mais tempo de qualidade com a família e aposto que a comida até vai saber melhor, pois foi um contributo de todos.


Este princípio pode ser aplicado a muitas outras coisas... Quantas vezes não nos queixamos da tralha que temos que arrumar, daquilo que está sujo? E se em vez disso pensarmos em como é bom ter uma casa, tralha e pessoas que a sujem? Às vezes, acho mesmo importante nos afastarmos um pouco da realidade e valorizarmos aquilo que temos.

Experimentem fazer este exercício, vão ver que compensa!


E depois de vos ter falado dos meus ritmos, posso dizer-vos que não há um ritmo certo ou errado! Cada um tem o seu e nem sempre descobrimos logo o ritmo certo. Esta é a parte boa, podemos ir experimentando até descobrir o ritmo ideal. Depois com a prática já sabemos a música e a coreografia de cor e não nos custa nada!
Além disso, estes estão constantemente a mudar... o ritmo ideal hoje pode não o ser amanhã, e é esta adaptação que devemos ir fazendo para que tudo corra melhor e possamos retirar o verdadeiro gozo e proveito que a vida nos dá :)

Enquanto a rotina da manhã permite que o dia corra melhor, a rotina da noite permite-nos terminar o dia calmamente, preparar o dia seguinte e a noite, para dormirmos bem e recuperarmos energias para o dia seguinte.

Claro que nem sempre faço tudo o que quero, ou como quero... Afinal os ritmos também devem seguir o nosso maior ritmo, que é o da vida, certo? Há dias em que estamos mais cansados, há dias em que é importante nos dedicarmos mais a nós ou a outra pessoa, e nesses dias fazemos o mínimo dos mínimos e deixamos o ritmo definido para outro dia. O importante é sempre descobrir e aplicar a medida certa. Nem sermos demasiado rígidos, nem sermos demasiado desleixados. E depois ir experimentando e adaptando ao nosso estilo de vida, à nossa personalidade, à nossa família e às mudanças que vão ocorrendo.


E sabem que mais? O mais importante de todos estes ritmos, velhos e novos, e sobre o qual aprendi um pouco mais com o livro da Brooke, é sem dúvida o ritmo go slowly!


Afinal foi por isso que criei este blog! Quero continuar a seguir esse caminho. O da tranquilidade, o da calma, o da meditação, o da vida zen, do auto-conhecimento, do acreditar mais em mim, da admiração e do espanto (sim, olhar para as coisas como se fosse a primeira vez e/ou a última), o da felicidade e do contagiar os outros com ela. Adoro ver pessoas felizes (cada vez mais) e gosto muito de contribuir para a felicidade dos outros, nem que seja só um bocadinho, nem que seja à distância.


Gosto de dar (sempre gostei), mas tenho aprendido a dar sem esperar nada em troca. O não criar expectativas é difícil e ainda estou em fase de aprendizagem mas acreditem que vale a pena! A vida é tão mais leve e feliz assim!

Desejo-vos bons ritmos! :)



Novos e velhos ritmos - Parte I

03 junho 2013


(Como este post ficou muito longo resolvi dividi-los em duas partes...)


Adorei ler o livro "Destination: Simple"* da Brooke McAlary! Devorei-o quase de uma só vez, depois de o ter comprado! E fiz os exercícios propostos no livro.

Desde o início do ano que algumas coisas na minha vida mudaram e portanto não poderia continuar a fazer tudo como fazia antes... O livro foi uma óptima ajuda nesse sentido!

Estou constantemente a mudar rotinas, a experimentar coisas novas. Sempre fui assim, mas nunca percebi bem porquê e o minimalismo veio ajudar nisso mesmo. No fundo passei a conhecer-me melhor!

Então de volta às rotinas (ou ritmos como lhe prefere chamar a Brooke), estas para mim são essenciais. Sempre foram, desde miúda. Havia coisas que eu definia que tinham que ser assim e assado, mesmo sem os meus pais me dizerem nada. Em casa da minha avó, era eu que preparava as coisas para o dia seguinte: a roupa, a louça do pequeno-almoço, etc. e isso era algo que fazia naturalmente, sem grande esforço.

O minimalismo e sobretudo a Rita (aka busy woman) vieram reforçar esse meu jeito natural e fazer-me perceber que afinal o que faço, até faço bem e tem algum sentido. Há tanta gente a querer ser mais organizada, a definir rotinas e isso é algo que faz parte de mim e me foi incutido pelos meus pais/pela minha avó e estou muito feliz e grata por isso! :)

Este gosto por arrumar, por organizar e reorganizar, por deixar tudo preparado no dia anterior, por ajudar os outros nessas tarefas (sim eu oferecia-me voluntariamente para fazer limpezas em casas dos outros, avós, tios... e adorava!) mantém-se até hoje e é algo que gosto cada vez mais.

Na universidade, mesmos com as saídas à noite e as 1001 coisas para fazer, as rotinas mantinham-se e sei que era a única na casa com estes hábitos. Mas ainda bem! Ninguém, além de mim preparava a mesa para o pequeno-almoço ou se levantava quase 2h antes das aulas começaram e, digo-o mais uma vez, ainda bem! Se não, não havia espaço na mesa nem sossego na casa! A verdade é que só agora é que estou a pensar nisto... Afinal a saída de casa dos pais para estudar está geralmente cheia de experiências novas e recordamos quase tudo, menos as coisas triviais, rotineiras...

Mesmo apesar de esse período ter tido os seus altos e baixos, nunca deixei de ser responsável, quase nunca faltei às aulas, mesmo que não tivesse dormido na noite anterior. Assim como nunca deixei de fazer as limpezas e de seguir as minhas rotinas. Sou assim e pronto, mesmo no meio do caos acabo por conseguir organizar-me.

Depois foi difícil voltar a casa dos pais, adaptar as minhas rotinas a "novas" pessoas (apesar de tudo viver com amigas é mais fácil, afinal ninguém tinha as minhas manias e até me agradeciam que mantivesse a casa limpa e arrumada).

Claro que apesar de gostar muito da minha família, estava mortinha por ter o meu próprio espaço. Achava eu, cheio de animais por toda a parte! A vida foi acontecendo, muito diferente daquilo que imaginava e ainda bem! Pois foi muito melhor do que aquilo que tinha idealizado :)

Hoje posso dizer que apesar de continuar a ser a mesma pessoa (na minha essência), mudei muito! Sou uma pessoa feliz (e sei que a felicidade se constrói), conheço-me melhor, sei aquilo que quero, tenho alguns sonhos por realizar e sei que a seu tempo as coisas acontecerão e sei que irei continuar com as minhas rotinas ou ritmos, sempre. Sei que sou assim e que serei sempre e ainda bem :)

E depois de vos contar mais um bocadinho da minha vida e dos meus velhos ritmos, falarei no próximo post dos meus novos ritmos!


*Não precisam de ter um kindle para comprarem o livro, basta instalarem o software kindle no vosso computador. Aqui para PC, aqui para MAC.

Eu costumo usar o kidle para mac e para iPad (onde uso mais).

Protector solar ecológico

02 junho 2013


Finalmente veio o calor e com ele o cuidado com a pele (sempre bem protegida) e as horas em que estou ao sol.

Este ano tinha que comprar um protector solar vegan, que fosse melhor para mim e para o ambiente.

Encontrei este da JĀSÖN, não testado em animais, resistente à água, sem parabenos nem ftalatos, fórmula não gordurosa e factor 45 (bem preciso pois sou branquinha).

Custou cerca de 11€ (não achei a diferença de preço muito grande comparando com outros protectores).

Portanto, estou satisfeita. Podes vir SOL, estou preparada! :)