O gosto pela decoração...

24 maio 2013


Comecei a interessar-me por decoração desde bem cedo. Acho que isso se deveu totalmente à minha mãe que ainda hoje gosta imenso da área e que sempre teve revistas da El Mueble (e não só) lá por casa.

Também me lembro de entrarmos sempre na mesma loja de decoração onde ficávamos bastante tempo a ver tudo com pormenor. Eu ficava maravilhada, era como ir a uma loja de brinquedos. Sabia apenas que não podia mexer em nada, só ver. Na altura havia muito poucas lojas do género perto da zona onde morávamos e por isso não era fácil esquecer-me da loja. Lembro-me de já ser crescida e de passar na rua da loja e ficar a pensar se teria sido mesmo ali. Um dia passei com a minha mãe e ela disse-me "lembras-te da loja onde vinhas sempre comigo quando eras pequenina? Era aqui!". Também me lembro de ouvir a minha mãe dizer que quando se reformasse gostava de ter uma loja de decoração... Claro que eu ficava logo a imaginar como seria poder ter uma loja destas na família e por isso quase minha! Ficava deliciada a pensar em todos esses cenários...

O gosto foi-se mantendo e foi-se manifestando. Na família fui sendo a "decoradora" de serviço, pois a minha mãe sempre teve pouco tempo. Tios e primos iam pedindo ajuda e conselhos. E eu adorava acompanhá-los nas idas às lojas. Apesar de, muitas vezes, termos gostos completamente diferentes, conseguia perfeitamente colocar-me no papel deles e pensar no que ficaria bem com este ou com aquele estilo e também com as coisas que já tinham em casa.

Claro que estava sempre a sonhar sobre como seria a minha casa... Sempre soube muito bem o que queria, ainda que tivesse passado por duas ou três fases diferentes, lembro-me da fase do azul (e quando era miúda tive mesmo o quarto em azul e branco), do estilo étnico e depois o retro (que é sem dúvida o meu estilo favorito desde sempre).

Quando chegou a altura de decorar a minha casa (finalmente a minha casa!) tive que adaptar os meus gostos aos do marido. Curiosamente não foi tão difícil como esperava, sim porque o marido também gosta e percebe do assunto e portanto todas estas decisões foram tomadas em conjunto.

Sempre gostei imenso do estilo retro / Mid-century modern (se gostarem e se tiverem tempo vejam este documentário) mas com um toque actual (costumo gostar sempre mais de peças feitas agora a imitar as peças antigas do que de peças antigas), só que nunca aprofundei muito o assunto, nunca tive conhecimento teórico sobre a coisa, sempre foi tudo na base da intuição, daquilo que gosto e não gosto. E de facto quando se começa a aprofundar um bocadinho o tema, nota-se uma diferença enorme: é muito mais fácil perceber o que fica bem, as dúvidas começam a desaparecer e é muito mais fácil saber o que se está à procura e por isso também encontrar as lojas certas!

Na altura em que decoramos a nossa casa sabia muito pouco sobre o assunto e por isso provavelmente demorei muito mais tempo a descobrir o que realmente queria e onde poderia encontrar...

Imprimi recortes, fiz montagens e gastei muitas horas a fazer pesquisas pela internet, claro! Pena que na altura ainda não existia o Pinterest, que deve ser sem dúvida das melhores fontes de inspiração!

Já tínhamos decidido que queríamos comprar algo definitivo, não queríamos comprar umas coisas só para despachar que depois iríamos mudar com o passar do tempo, não, nós queriamos ir para a casa nova com tudo pronto e ao nosso gosto e, por isso, teriam que ser peças com qualidade. Apenas decidimos que não valeria a pena investir muito nos cortinados, almofadas, roupa de cama, pois isso é fácil mudar e, muitas vezes, basta apenas mudar isso para ficarmos com uma casa totalmente nova (o quarto parece outro e apenas mudei a capa do edredon).


Como tenho andando a aprofundar um bocadinho mais estes assuntos, também tenho andado a mudar algumas coisinhas cá em casa (ou será ao contrário?). Se nós também mudamos, a nossa casa deve reflectir isso, certo?

Adoro coisas antigas (sobretudo máquinas de escrever, máquinas fotográficas e telefones) e por isso tenho andado à procura de algumas peças! Máquina de escrever já tenho, máquina fotográfica também (consegui arranjar uma, também de uma pessoa da família) e só me falta o telefone que ainda não sei bem se conseguirei arranjar... Os objectos com história são especiais! Sei que as memórias estão na nossa cabeça mas se gosto de ter algumas coisas em casa, então prefiro reutilizar objectos já vividos do que estar a comprar novos.

Para além de ser uma atitude mais amiga do planeta, estamos a reavivar memórias antigas, estamos a partilhar a nossa casa com elas, estamos também a dar conhecer a outros (que visitam a nossa casa) essas memórias e histórias. Pois se as tivermos apenas na cabeça os outros não irão adivinhar... 

Portanto ando a eliminar objectos que não interessam e a adiconar aqueles que realmente gosto e que fazem sentido :)

Quanto a cores, sempre gostei de cores escuras e/ou fortes e portanto o gosto pelo branco foi para mim uma surpresa! Sempre gostei de móveis brancos mas nunca pensei gostar de uma casa totalmente branca, por exemplo, e a verdade é que gosto e muito! Sempre achei que tudo branco não ficava bem, que era demasiado... Mas isso era porque nunca tinha visto casas que realmente gostasse! Eu sabia lá o que era o estilo escandinavo... Além disso tinha medo do branco, sempre ouvi dizer que se sujava muito, que era uma maçada, pois tinha que se estar sempre a limpar. Portanto para mim branco só mesmo nas paredes e em alguns móveis.

Agora sei que não é bem assim, que é perfeitamente possível ter tudo branco sem se sujar muito e que é 1000 vezes melhor ter muito branco do que ter a casa carregada de objectos (pois isso sim é que dá trabalho a limpar!).


E sabem que mais? Isto de descobrir o nosso estilo decorativo é como descobrir qualquer outro estilo, seja na moda, nos cabelos, na música, na comida... faz-nos sentir tão bem connosco próprios! Sim, porque nos conhecemos verdadeiramente e por isso, sentimo-nos muito mais felizes! Vejam este post sobre como reflectir a nossa personalidade na nossa casa (adorei!).


E depois de vos contar esta loooonga história sobre mim, vou deixar-vos umas imagens da nova colecção stockholm do Ikea que reúne todos os elementos que gosto: branco, muita cor e estilo retro com um toque moderno. 

Se tivesse que voltar a decorar a minha casa já sei onde compraria quase tudo. Simplesmente adoro!




2 comentários:

  1. Concordo, o que importa é mesmo sentir que a casa é nossa :)
    Eu por mim enchia a casa de coisas campestres, vintage, estilo romântico, mas o F. tinha um colapso :P por isso temos a nossa casa em modo simples, linhas direitas, assim agrada aos dois!

    Já procuraste pelo telefone nas feiras de tralhas e quinquilharias? Aqui em Lisboa, no Príncipe Real, costumam fazer todos os meses e encontram-se verdadeiras relíquias!

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já vi alguns mas achei-os demasiado caros. Quando for a lisboa ja tenho mais uma coisa para fazer :)
      Obrigada e beijinhos

      Eliminar